m

Ver milli- (mili).

M

Ver mega-.

.ma

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado no Marrocos.

MAC

Acrônimo de media access control. Ver IEEE 802 standards (padrões IEEE 802).

Mac

Ver Macintosh.

Mac-

Prefixo usado para indicar a capacidade de um software ser utilizado no computador Apple Macintosh, como em MacDraw.

MacBinary

Protocolo de transferência de arquivo usado para preservar a codificação de arquivos produzidos em computadores Macintosh e armazenados em computadores não-Macintosh. Esse protocolo contém a bifurcação de recursos, a bifurcação de dados e o bloco de informações do Finder. Ver também data fork (bifurcação de dados); Finder; resource fork (bifurcação de recursos).

Mac clone clone de Mac

Computador licenciado e construído para executar o sistema operacional do Macintosh. A Power Computing foi a primeira a receber uma licença do Macintosh OS em dezembro de 1994. Ver também Macintosh.

Mach

Variante do sistema operacional UNIX desenvolvida na Carnegie-Mellon University. O Mach foi escrito "do zero" e projetado para suportar recursos avançados como a multitarefa e o multiprocessamento. Ver também UNIX.

machine address endereço de máquina

Ver absolute address (endereço absoluto).

machine code código de máquina

Resultado final da compilação de uma linguagem assembly ou qualquer linguagem de alto nível, como o C e o Pascal: seqüências de 1s e 0s carregadas e executadas por um microprocessador. O código de máquina, também conhecido como linguagem de máquina, é a única linguagem que os computadores "entendem"; todas as outras linguagens de programação representam maneiras de se estruturar os idiomas humanos de modo que uma pessoa possa fazer os computadores executarem tarefas específicas. Também chamado de machine language (linguagem de máquina). Ver também compiler (compilador – definição 2).

machine cycle ciclo de máquina

1. Tempo necessário para a operação mais rápida (geralmente, uma NOP, ou no-op, que não faz nada) que o microprocessador consegue executar. 2. As etapas necessárias a cada instrução de máquina. Essas etapas são, normalmente, a busca da instrução, sua decodificação, execução e realização de uma eventual armazenagem.

machine-dependent dependente de máquina

Adjetivo que descreve um programa ou equipamento vinculado a determinado computador por fazer uso de recursos específicos do hardware e que, portanto, não pode ser utilizado com outro computador. Comparar com machine-independent (independente de máquina).

machine error erro de máquina

Erro de hardware. Provavelmente o tipo mais comum de erro de máquina esteja relacionado com meios de gravação, como é o caso de erros de leitura em um disco rígido.

machine identification identificação da máquina

Código pelo qual um programa que esteja sendo executado pode determinar a identidade e a característica do computador e de outros dispositivos com os quais ele esteja operando.

machine-independent independente de máquina

Adjetivo que descreve um programa ou equipamento capaz de ser usado com mais de um computador praticamente sem modificações significativas. Comparar com machine-dependent (dependente de máquina).

machine instruction instrução de máquina

Instrução em código de máquina, que pode ser executada diretamente por um processador. Ver também instruction (instrução); statement (instrução).

machine language linguagem de máquina

Ver machine code (código de máquina).

machine-readable legível pela máquina

1. Termo que descreve informações apresentadas em uma forma que o computador possa interpretar e usar como entrada, a exemplo de códigos de barras que podem ser lidos e usados diretamente como entrada do computador. 2. Informações codificadas na forma binária exigida pelos computadores e armazenadas em um meio adequado, como uma fita magnética. Ver também optical character recognition (reconhecimento ótico de caracteres, leitura ótica de caracteres).

Macintosh

Série bastante conhecida de computadores pessoais lançada em janeiro de 1984 pela Apple Computer Corporation. O Macintosh foi um dos primeiros computadores pessoais a incorporar uma interface gráfica com o usuário e o primeiro a usar disquetes de 3,5 polegadas. Foi também o primeiro a usar o microprocessador de 32 bits 68000 da Motorola. Apesar de seus recursos amigáveis, o Macintosh perdeu parte do mercado na década de 1990, cedendo terreno aos computadores compatíveis com PC, mas ainda é bastante utilizado na editoração eletrônica e em aplicações gráficas. Também chamado de Mac. Ver também graphical user interface (interface gráfica com o usuário, GUI); PC-compatible (compatível com PC).

Macintosh Application Environment MAE (Macintosh Application Environmen

Shell destinado a sistemas abertos baseados na tecnologia RISC que oferece uma interface de Macintosh em uma janela do X Window System. O MAE (Macintosh Application Environment) é compatível com o Mac e o UNIX e aceitará todos os produtos que forem desenvolvidos para o Macintosh. Ver também RISC; X Window System.

Macintosh File System

Antigo sistema de arquivos simples usado no Macintosh antes do lançamento do HFS (Hierarchical File System). Ver também flat file system (sistema de arquivos simples). Comparar com Hierarchical File System.

Mac OS

Abreviatura de Macintosh Operating System. Nome atribuído ao sistema operacional do Macintosh, a partir da versão 7.5, em setembro de 1994, quando a Apple começou a licenciar o software para outros fabricantes de computador. Ver também Macintosh.

macro

1. Nos softwares aplicativos, um conjunto de teclas e instruções registradas e gravadas sob um nome abreviado. Quando esse nome (geralmente uma combinação de teclas) é especificado, o programa executa as instruções da macro. Os usuários costumam criar macros para poupar tempo, substituindo seqüências longas de teclas e comandos, usadas repetidamente, por um único nome. 2. Nas linguagens de programação, como o C ou a linguagem assembly, um nome que define um conjunto de instruções que serão executadas no lugar do nome da macro, sempre que esse nome aparecer em um programa – um processo chamado macro expansion (expansão da macro) – quando o programa for compilado ou montado. As macroinstruções podem ser colocadas no programa propriamente dito ou em um arquivo separado identificado no programa. As macros são semelhantes às funções no que se refere a poder lidar com argumentos e por constituírem chamadas para estender conjuntos de instruções. Ao contrário das funções, as macros são substituídas pelas instruções que representam quando o programa é preparado para a execução; as instruções das funções são copiadas para dentro do programa apenas uma vez. Comparar com function (função – definição 2).

macro assembler

Assembler capaz de fazer a macro-substituição e a expansão das macros. O programador pode definir uma macro composta de diversas instruções e, depois, usar o nome da macro no programa, evitando, assim, a necessidade de repetir as instruções . Por exemplo:

.macro swap,2

ldx %1

ldy %2

stx %2

sty %1

.endm

Esta macro, chamada de swap, troca o valor de duas variáveis. Depois de definir swap, o programador pode inserir uma instrução como "swap a, b" no programa escrito em linguagem assembly. Durante a montagem, o assembler substitui a macro pelas instruções que a compõem, responsáveis pela troca dos valores das variáveis a e b.

macro expansion expansão da macro

Ato de substituir uma macro pelas instruções equivalentes. Também chamada de macro substitution (macro-substituição). Ver também macro; macro assembler (macroassembler); macro processor (processador de macros, macroprocessador).

macro instruction macroinstrução

Instrução usada para gerenciar definições de macros. Ver também macro language (linguagem de macros).

macro language linguagem de macros

Conjunto de instruções de macros reconhecido por determinado macroprocessador. Ver também macro instruction (macroinstrução); macro processor (processador de macros, macroprocessador).

macro processor processador de macros, macroprocessador

Programa que faz a expansão de macros. Todos os programas que suportam macros têm alguma forma de macroprocessador, porém eles diferem conforme o programa e na linguagem de macros que suportam. Ver também macro; macro expansion (expansão da macro); macro instruction (macroinstrução).

macro program programa de macros

Ver keyboard enhancer (utilitário de teclado).

macro recorder programa de gravação de macros

Programa que registra e grava macros de teclado. Ver também macro (definição 1).

macro substitution macro-substituição

Ver macro expansion (expansão da macro).

macro virus vírus de macro

Vírus criado em uma linguagem de macros que é associado a uma aplicação. O vírus de macro é transportado por um arquivo de documento usado com essa aplicação e é executado quando o documento é aberto.

MacTCP

Extensão do Macintosh que permite que computadores Macintosh utilizem o conjunto de protocolos TCP/IP. Ver também TCP/IP.

MAE

Ver Macintosh Application Environment; Metropolitan Area Exchange.

magnetic bubble bolha magnética

Tecnologia de memória não-volátil que chegou a ser usada como sucessora dos discos rígidos. Os altos custos e o tempo de acesso relativamente grande relegaram as bolhas magnéticas a aplicações especializadas. Ver também bubble memory (memória de bolhas); magnetic domain (domínio magnético). Comparar com core (núcleo); RAM.

magnetic disk disco magnético

Disco de computador alojado em uma caixa protetora de metal (disco rígido) ou um invólucro (disquete), revestido com um material magnético que permite a modificação do fluxo magnético em várias pequenas seções (domínios) da superfície do disco. As mudanças de fluxo são modificações da polaridade magnética, sendo utilizadas para codificar informações em formato binário (uma polaridade é igual a um, e a polaridade oposta é igual a zero). As alterações são produzidas em alta velocidade pelo cabeçote de leitura/gravação da unidade de disco ao passar sobre a superfície do disco. Em razão de suas propriedades, os discos de computador não devem ser expostos a fontes magnéticas, que poderiam danificar ou destruir as informações que contêm. Ver também disk (disco); floppy disk (disquete, disco flexível); hard disk (disco rígido). Comparar com compact disc (disco a laser, CD); magneto-optic disc (disco ótico-magnético).

magnetic domain domínio magnético

Região de material ferromagnético na qual as partículas atômicas ou moleculares ficam alinhadas na mesma direção. Também chamado de ferromagnetic domain (domínio ferromagnético).

magnetic field campo magnético

Espaço em torno de um objeto magnético dentro do qual a força magnética é atuante. Os campos magnéticos podem ser imaginados como linhas de fluxo que se originam no pólo norte magnético e terminam no pólo sul magnético

magnetic head cabeçalho magnético

Ver head (cabeçote).

magnetic-ink character recognition reconhecimento de caracteres de tinta magnética, leitura de caracteres de tinta magnética

Tipo de reconhecimento de caracteres que lê textos impressos com uma tinta magneticamente carregada, determinando as formas dos caracteres pela detecção da carga magnética da tinta. Depois que as formas são identificadas, os métodos de reconhecimento de caracteres – comparação de padrões com conjuntos de caracteres armazenados na memória do equipamento – são usados para converter as formas em textos inteligíveis pelo computador. Os números na parte inferior dos cheques bancários costumam ser impressos com tinta magnética. Acrônimo: MICR. Ver também character recognition (reconhecimento de caracteres). Comparar com optical character recognition (reconhecimento ótico de caracteres, leitura ótica de caracteres).

magnetic oxide óxido magnético

Ver ferric oxide (óxido férrico).

magnetic storage memória magnética

Termo genérico para o armazenamento de dados fora da memória do computador, envolvendo um meio magnético, como disco ou fita.

magnetic tape fita magnética

Ver tape (fita – definição 1).

magneto-optical recording gravação ótico-magnética

Tipo de tecnologia de gravação usada com discos óticos, na qual um raio laser aquece uma pequena parte do material magnético que reveste o disco. O aquecimento faz com que um campo magnético fraco modifique o sentido das partículas e, assim, produza uma gravação no disco. Esta técnica também pode ser usada para apagar o disco, tornando-o regravável.

magneto-optic disc disco ótico-magnético

Disco apagável ou semi-apagável semelhante a um disco de CD-ROM, de altíssima capacidade, no qual um raio laser é usado para aquecer a superfície de gravação até o ponto em que regiões minúsculas da superfície possam ser alinhadas magneticamente de forma a representar bits de dados. Ver também CD-ROM; magneto-optical recording (gravação ótico-magnética).

magnitude magnitude, módulo

Tamanho de um número, independentemente de seu sinal (+ ou -). Por exemplo, 16 e -16 têm a mesma magnitude, ou módulo. Ver também absolute value (valor absoluto).

mailbomb1 bombardeio de correio eletrônico, borbardeio de e-mail

Volume excessivamente grande de dados de correio eletrônico (uma grande quantidade de mensagens ou uma mensagem muito grande) enviado ao endereço de correio eletrônico de um usuário na tentativa de dar pau em seu programa de correio eletrônico ou impedir que o usuário receba mensagens válidas. Ver também e-mail1 (correio eletrônico, e-mail – definição 1). Comparar com letterbomb (carta-bomba).

mailbomb2 fazer bombardeio de correio eletrônico, fazer borbardeio de e-mail

Enviar uma bomba-correio a um usuário. Uma pessoa pode enviar uma bomba-correio a um usuário com uma única mensagem enorme, um grande número de usuários pode enviar uma bomba-correio a uma pessoa nada popular enviando ao mesmo tempo mensagens de tamanho normal.

mailbot robô de correio

Programa que responde automaticamente a mensagens de correio eletrônico ou executa ações com base em comandos contidos nas mensagens. Um gerenciador de listas de correspondência é um exemplo de robô de correio. Ver também mailing list manager (gerenciador de listas de correspondência, gerenciador de listas de mala direta).

mailbox caixa de correio, caixa postal

Área de armazenamento no disco atribuída a um usuário da rede para o recebimento de mensagens de correio eletrônico. Ver também e-mail1 (correio eletrônico, e-mail – definição 1).

mail digest resenha de correio, compilação de correio

Ver digest (resenha, compilação – definição 2).

mailer-daemon daemon de correio

Programa usado para transportar mensagens de correio eletrônico entre hosts em uma rede. Ver também daemon.

mail filter filtro de correio

Ver e-mail filter (filtro de correio eletrônico, filtro de e-mail).

mail header cabeçalho de correio

Bloco de texto apresentado no início de uma mensagem de correio eletrônico que contém informações como os endereços do remetente e do(s) destinatário(s), a data e a hora do envio, o endereço para o qual uma resposta deverá ser enviada e o assunto. O cabeçalho de correio é usado por um programa ou cliente de correio eletrônico. Ver também e-mail1 (correio eletrônico, e-mail – definição 1).

mailing list lista de correspondência, lista de mala direta

Lista de nomes e endereços de correio eletrônico que são agrupados em um único nome. Quando um usuário inclui o nome da lista de correspondência no campo To: (Para:) do cliente de correio, o cliente envia a mensagem à máquina em que a lista de correspondência reside, e essa máquina envia automaticamente a mensagem a todos os endereços da lista (possivelmente permitindo que um moderador a edite antes). Ver também LISTSERV; mailing list manager (gerenciador de listas de correspondência, gerenciador de listas de mala direta); Majordomo; moderator (mediador, moderador).

mailing list manager gerenciador de listas de correspondência, gerenciador de listas de mala direta

Software que faz a manutenção de uma lista de correspondência da Internet ou de uma intranet. O gerenciador de listas de correspondência aceita as mensagens enviadas pelos assinantes, envia cópias das mensagens (que podem ser editadas por um moderador) a todos os assinantes e aceita e processa solicitações de usuário, como pedidos de inscrição ou de cancelamento de inscrição na lista de correspondência. Os gerenciadores de listas de correspondência mais utilizados são o LISTSERV e o Majordomo. Ver LISTSERV; mailing list (lista de correspondência, lista de mala direta); Majordomo; moderator (mediador, moderador).

mail merge mala direta, mail merge

Recurso usado para o preparo de correspondências em alto volume que acessa nomes, endereços e (às vezes) outras informações relevantes sobre os destinatários e as associa a uma carta padronizada ou algum outro documento básico.

mail reflector refletor de correio eletrônico

Newsgroup que se compõe simplesmente das mensagens enviadas a uma lista de correspondência convertidas para o formato do newsgroup.

mailto

Designador de protocolo usado no HREF de um hiperlink que permite que um usuário envie mensagens de correio eletrônico a alguém. Por exemplo, Anne E. Oldhacker tem o endereço de correio eletrônico aeo@baz.foo.com, e o documento HTML contém o código <AHREF="mailto:aeo@baz.foo.com">E-mail Anne!</A>. Se um usuário der um clique sobre o hiperlink "E-mail Anne!", a aplicação de correio eletrônico do usuário será disparada, e o usuário poderá enviar mensagens de correio eletrônico para Anne sem conhecer seu verdadeiro endereço de correio eletrônico. Ver também e-mail1 (correio eletrônico, e-mail – definição 1); HTML; hyperlink (hiperlink).

mainboard placa principal

Ver motherboard (placa-mãe).

main body corpo principal

Conjunto de instruções no qual a execução do programa começa e de onde a execução se desvia para as sub-rotinas do programa. Também chamado de subroutine (sub-rotina).

mainframe computer mainframe, computador de grande porte

Computador de alto nível projetado para as tarefas computacionais mais intensas. Os mainframes costumam ser partilhados por diversos usuários conectados a eles através de terminais. Ver também computer (computador); supercomputer (supercomputador).

main function função principal

Corpo principal de um programa escrito em uma linguagem de programação que utilize conjuntos de funções para compor os programas. Por exemplo, a linguagem C exige que cada programa contenha uma função chamada main, que o C usa como ponto de partida para a execução do programa. Ver também main body (corpo principal).

main loop loop principal

Loop no corpo principal de um programa, responsável pela execução da função principal do programa até que seja encerrada de alguma forma. Nos programas baseados em eventos, este loop verifica a ocorrência de eventos provocados pelo sistema operacional e os processa conforme necessário. Ver também event-driven programming (programação baseada em eventos); main body (corpo principal).

main memory memória principal

Ver primary storage (memória primária, memória principal).

main segment segmento principal

No Apple Macintosh, o principal segmento de código de um programa, que permanece carregado durante toda a execução do programa.

maintenance manutenção

Processo que consiste em tomar medidas para garantir que o hardware, o software ou um sistema de banco de dados funcione corretamente e esteja sempre atualizado.

Majordomo

Nome de um software bastante conhecido que gerencia e permite o uso de listas de correspondência da Internet. Ver também mailing list (lista de correspondência, lista de mala direta); mailing list manager (gerenciador de listas de correspondência, gerenciador de listas de mala direta).

major geographic domain domínio geográfico principal

Seqüência de dois caracteres de um endereço de nome de domínio da Internet que indica o país em que um host está localizado. O domínio geográfico principal é a última parte do endereço de nome de domínio, que vem depois dos códigos de domínio e subdomínio. Por exemplo, uiuc.edu.us indica um host da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, ao passo que cam.ac.uk indica um host da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. O código .us, que indica um domínio dos Estados Unidos, é, em geral, omitido. Também chamado de country code (código do país). Ver também DNS (definição 1); domain name address (endereço de nome de domínio).

major key chave principal

Ver primary key (chave primária).

male connector conector-macho

Tipo de conector que tem pinos para encaixe em receptáculos. O código de produto dos conectores-machos costuma ter um M (macho) ou P (plugue). Por exemplo, um conector-macho DB-25 poderia ser identificado como DB-25M ou DB-25P. Comparar com female connector (conector-fêmea).

MAN

Acrônimo de metropolitan area network. Rede de alta velocidade que pode transportar voz, dados e imagens a uma velocidade de até 200 Mbps ou ainda maior em distâncias de até 75 Km. Dependendo da arquitetura da rede, a velocidade de transmissão pode ser mais alta em distâncias menores. Uma MAN, que pode conter uma ou mais LANs, bem como equipamentos de telecomunicação, como estações de transmissão de microondas ou por satélite, é menor que uma rede remota, mas em geral opera a uma velocidade mais alta. Comparar com LAN; wide area network (rede remota).

management information service serviço de informações gerenciais

Departamento da empresa que funciona como uma espécie de câmara de compensação de informações. Acrônimo: MIS.

Management Information Services

Ver Information Services (Serviços de Informações).

management information system sistema de informações gerenciais

Sistema informatizado para o processamento e a organização das informações, de modo a fornecer aos diversos níveis gerenciais da empresa as informações atualizadas e exatas de que necessitam para supervisionar as atividades, acompanhar os resultados, tomar decisões, identificar e resolver problemas. Acrônimo: MIS.

Management Information Systems

Ver Information Services (Serviços de Informações).

manager gerenciador

Em geral, qualquer programa projetado para executar tarefas de "faxina" relacionadas com a operação do computador – por exemplo, a manutenção de arquivos. No Apple Macintosh, Manager (com M maiúsculo) é o nome atribuído a diversas partes do sistema operacional do computador que cuidam da entrada, saída e funções internas (por exemplo, File Manager e Memory Manager).

Manchester coding codificação Manchester

Método de codificação de dados usado na comunicação – por exemplo, em algumas redes locais – que combina dados e sinais de sincronização em um mesmo fluxo de bits. Ver também phase encoding (codificação por fase).

Mandelbrot set conjunto de Mandelbrot

Ver fractal.

man-machine interface interface homem/máquina

Conjunto de comandos, telas, controles e dispositivos de hardware que permite a troca de informações entre o ser humano e o sistema de computador. Ver também user interface (interface com o usuário).

man pages páginas de manual

Documentação online dos comandos e programas do UNIX e as rotinas de biblioteca do UNIX disponíveis para uso em programas C. Esses documentos, também encontrados no UNIX Programmer's Manual (Manual do Programador UNIX), podem ser apresentados no terminal de um usuário ou ser impressos através do comando man.

mantissa

1. Nos cálculos com logaritmos, a fração decimal positiva de um logaritmo comum (base dez). Por exemplo, o logaritmo comum de 16 é 1,2041; a característica, ou parte inteira do logaritmo, é um, e a mantissa, ou parte fracionária, é 0,2041 (o logaritmo de 1,6). Ver também characteristic (característica); logarithm (logaritmo). 2. Na notação de ponto flutuante, a mantissa é a parte que expressa os dígitos significativos do número. Por exemplo, a representação de 640.000 com ponto flutuante seria 6,4E+05. A mantissa é 6,4; o expoente (E+05) indica a potência de dez à qual 6,4 deve ser elevado para ficar igual a 640.000. Ver também floating-point notation (notação de ponto flutuante).

map1 mapa

Qualquer representação da estrutura de um objeto. Por exemplo, um mapa da memória descreve o layout dos objetos existentes em uma área da memória, e um mapa de símbolos lista as associações entre os nomes dos símbolos e os endereços de memória de um programa. Ver também image map (mapa de imagem).

map2 mapear

Converter um valor em outro. Por exemplo, na computação gráfica, seria possível mapear um objeto tridimensional no plano ou uma imagem bidimensional em uma esfera; com referência aos sistemas de memória virtual, o computador poderia converter (mapear) um endereço virtual em um endereço físico. Ver também virtual memory (memória virtual).

MAPI

Acrônimo de Messaging Application Programming Language. Especificação de interface da underpop que permite que diversas aplicações de troca de mensagens e de grupo de trabalho (inclusive correio eletrônico, correio de voz e fax) operem através de um único cliente, como o cliente Exchange fornecido com o Windows 95 e o Windows NT. Ver também application programming interface (interface de programas aplicativos).

mapped drives unidades mapeadas

1. No ambiente Windows, unidades de rede às quais foram atribuídas letras de unidade local e são acessíveis localmente. 2. No UNIX, unidades de disco que foram definidas para o sistema e podem ser ativadas.

margin margem

Na impressão, as partes de uma página – superior, inferior e laterais – situadas além do corpo principal do texto.

mark marca

1. Nas aplicações e no armazenamento de dados, um símbolo ou algum outro sinal que diferencie um elemento de outros elementos semelhantes. 2. Na comunicações serial assíncrona, marca é a transmissão contínua de 1s binários para indicar que a linha está inativa (não transportando informações). Na verificação de erros em transmissões assíncronas, a definição do bit de paridade como um em cada grupo de bits transmitidos é conhecida como mark parity (paridade de marca). Ver também parity (paridade). Comparar com space (espaço). 3. Na leitura ótica, uma linha traçada a lápis, como nos cartões de resposta das provas de vestibular, que pode ser reconhecida por um dispositivo de entrada conhecido como optical mark reader (leitora de marcas óticas).

marker marcador

1. Parte de um sinal de comunicação de dados que permite que o equipamento de comunicação reorganize a estrutura da mensagem. Alguns exemplos são os bits de início e de fim que enquadram um byte em comunicação serial assíncrona. 2. Símbolo que indica uma posição específica na superfície da tela.

Mark I

1. Máquina de calcular eletromecânica criada em fins da década de 1930 e início de 1940 por Howard Aiken da Universidade de Harvard e construída pela IBM. Também chamado de Automatic Sequence Controlled Calculator; Harvard Mark I. 2. O primeiro computador de programas totalmente armazenados eletronicamente, projetado e construído na Universidade de Manchester, na Inglaterra. Executou com êxito seu primeiro programa em junho de 1948. 3. O primeiro computador comercial, que se baseava no Manchester Mark I e foi lançado em 1951.

markup language linguagem de marcação

Conjunto de códigos contido em um arquivo de texto que instrui um computador a formatar esse arquivo em uma impressora ou monitor de vídeo ou a indexar e vincular seu conteúdo. Alguns exemplos de linguagem de marcação são a HTML (HyperText Markup Language), usada em páginas da Web, e a SGML (Standard Generalized Markup Language), usada na composição e na editoração eletrônica e em documentos eletrônicos. As linguagens de marcação desse tipo foram projetadas para permitir que os documentos e outros arquivos sejam independentes de plataforma e extremamente portáveis entre aplicações. Ver também HTML; SGML.

marquee letreiro

Extensão HTML não-padrão que permite que um texto role na tela como parte de uma página da Web. Hoje, os letreiros podem ser exibidos apenas no Internet Explorer. Ver também HTML; Internet Explorer; Web page (página da Web).

mask máscara

Valor binário usado para aceitar determinados bits de dados e excluir outros. O uso de máscaras é implementado através de operadores lógicos (AND, OR, XOR, NOT) associados aos dados. Por exemplo, a máscara 00111111, quando usada juntamente com o operador AND, retira (mascara) os dois bits superiores do valor, mas não afeta os bits restantes. Ver também logical operator (operador lógico); mask bit (bit de mascaramento).

maskable interrupt interrupção mascarável

Tipo de interrupção de hardware que pode ser desativada (mascarada) temporariamente quando um programa necessita de toda a atenção do microprocessador. Ver também external interrupt (interrupção externa); hardware interrupt (interrupção de hardware); interrupt (interrupção). Comparar com nonmaskable interrupt (interrupção não-mascarável).

mask bit bit de mascaramento

Determinado bit de uma máscara cuja função é restringir ou admitir a aceitação do bit correspondente de um valor sempre que a máscara é usada em uma expressão com um operador lógico. Ver também mask (máscara).

masking mascaramento

Processo que consiste na utilização da operação de máscara para executar operações em bits, bytes ou palavras de dados. Ver também mask (máscara).

mask off remover com máscara

Usar uma máscara para remover bits de um byte de dados. Ver também mask (máscara).

massively parallel processing processamento maciçamente paralelo

Arquitetura de computador em que cada um dos vários processadores tem sua própria RAM, que contém uma cópia do sistema operacional, uma cópia do código da aplicação e sua própria parte dos dados, em que esse processador trabalha de forma independente dos demais. Acrônimo: MPP. Comparar com SMP.

massively parallel processor processador maciçamente paralelo

Computador projetado para executar o processamento maciçamente paralelo.

mass storage memória de massa

Termo genérico usado para descrever o armazenamento de dados do computador em disco ou fita, pelo fato de que grandes massas de dados podem ser gravadas nesses meios, em comparação com a capacidade relativamente bem menor da memória. Comparar com memory (memória).

master file arquivo-mestre

Geralmente, em um conjunto de arquivos de banco de dados, o arquivo que contém informações descritivas mais ou menos permanentes sobre os principais assuntos do banco de dados, além de dados resumidos e um ou mais campos-chave críticos. Comparar com transaction file (arquivo de transações).

master key chave-mestre

Componente, baseado no servidor, de proteção de software ou de dados. Em alguns sistemas, os dados ou aplicações são armazenados em um servidor e devem ser carregados por download na máquina local para serem usados. Quando um cliente solicita os dados, apresenta uma chave de sessão. Se a chave de sessão fornecida corresponder à chave-mestre, o servidor de chaves enviará o pacote solicitado. Ver também client (cliente – definição 3); server (servidor – definição 2).

master record registro-mestre

Registro de um arquivo-mestre. Em geral, os dados descritivos e resumidos que se relacionam ao elemento identificado pelo registro. Ver também master file (arquivo-mestre).

master/slave arrangement configuração mestre/escravo

Sistema em que um dispositivo – em geral, um computador – controla outros dispositivos conectados a ele.

matching correspondência, comparação

Processo que consiste em verificar se dois elementos de dados são idênticos, ou em localizar um elemento de dados igual à chave de pesquisa utilizada. Ver também pattern recognition (reconhecimento de padrões).

math coprocessor co-processador matemático

Ver floating-point processor (processador com ponto flutuante).

mathematical expression expressão matemática

Expressão que usa valores e operadores numéricos, como inteiros, números com ponto fixo e números com ponto flutuante. Ver também expression (expressão).

mathematical function função matemática

Na programação, uma função que executa um conjunto de operações matemáticas sobre um ou mais valores ou expressões e que produz um valor numérico como resultado.

mathematical model modelo matemático

Hipóteses, expressões e equações matemáticas em que determinado modelo se baseia. Os modelos matemáticos são usados para modelar sistemas físicos "reais", como os planetas em órbita em torno de uma estrela, ou a produção e o consumo de recursos em um sistema fechado.

matrix matriz

Na matemática e na informática, um arranjo de linhas e colunas usado para organizar elementos inter-relacionados, como números, pontos, células de uma planilha ou elementos de um circuito. As matrizes são usadas na matemática para manipular conjuntos retangulares de números. Na informática, as matrizes são usadas com a finalidade semelhante de organizar conjuntos de dados em forma de tabelas, como acontece nas planilhas e nas tabelas de pesquisa. No hardware, as matrizes de pontos são usadas na geração de caracteres na tela e em algumas impressoras (como as matriciais). Na eletrônica, matrizes de diodos e transistores são usadas para criar redes de circuitos lógicos com a finalidade de codificar, decodificar ou converter informações. Ver também grid (grade).

matrix line printer impressora matricial de linhas

Ver line printer (impressora de linhas).

.ma.us

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Massachusetts, Estados Unidos.

maximize maximizar

Em uma interface gráfica com o usuário, fazer uma janela se expandir de modo a preencher todo o espaço disponível em uma janela maior ou na tela. Ver também enlarge (expandir); graphical user interface (interface gráfica com o usuário, GUI); Maximize button (botão Maximizar); window (janela). Comparar com minimize (minimizar); reduce (reduzir).

Maximize button botão Maximizar

No Windows 3.x, no Windows 95 e no Windows NT, um botão localizado no canto superior direito de uma janela que, quando clicado, maximiza uma janela de modo que ela preencha todo o espaço disponível em uma janela maior ou na tela. Ver também graphical user interface (interface gráfica com o usuário, GUI); window (janela). Comparar com Minimize button (botão Minimizar).

MB

Ver megabyte.

Mb

Ver megabit.

.mb.ca

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Manitoba, Canadá.

MBONE ou Mbone

Abreviatura de multicast Backbone. Pequeno conjunto de sites da Internet em que cada site pode transmitir áudio e vídeo em tempo real, ao mesmo tempo, a todos os outros sites. Os sites MBONE são equipados com software especial para enviar e receber pacotes em alta velocidade usando o protocolo IP multicast um para n. O MBONE já foi usado para videoconferência e até para um show realizado pelos Rolling Stones em 1994. Ver também RealAudio.

Mbps

Abreviatura de megabits per second. Um milhão de bits por segundo.

.mc

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Mônaco.

MC

Ver megacycle (megaciclo).

MC68000

Ver 68000.

MC68020

Ver 68020.

MC68030

Ver 68030.

MC68040

Ver 68040.

MC68881

Ver 68881.

MCF

Ver Meta-Content Format.

MCGA

Acrônimo de Multi-Color Graphics Array. Adaptador de vídeo contido no IBM PS/2 Modelos 25 e 30. O MCGA é capaz de emular o adaptador CGA (Color/Graphics Adapter) e oferece dois modos gráficos adicionais: o primeiro modo tem 640 pixels horizontais por 480 pixels verticais com duas cores escolhidas em uma paleta de 262.144 cores, o segundo tem 320 pixels horizontais por 200 pixels verticais com 256 cores escolhidas em uma paleta de 262.244 cores. Ver também graphics mode (modo gráfico – definição 2).

MCI

1. Acrônimo de Media Control Interface. Parte da interface API (Application Programming Interface) do Windows que permite que um programa controle dispositivos multimídia. 2. Grande concessionária de serviços telefônicos de longa distância, originalmente a Microwave Communications, Inc.

.md

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado na República da Moldávia.

MDA

Acrônimo de Monochrome Display Adapter. Adaptador de vídeo lançado em 1981, capaz de operar apenas em um modo de texto: 25 linhas de 80 caracteres cada, com caracteres sublinhados, piscantes ou de alta intensidade. Embora a IBM nunca utilize o nome Monochrome Display Adapter, nem o acrônimo MDA, essa sigla costuma ser usada para fazer referência ao Monochrome Display and Printer Adapter da IBM.

MDI

Acrônimo de multiple-document interface. Interface com o usuário de uma aplicação que permite que o usuário tenha mais de um documento aberto ao mesmo tempo. Ver também user interface (interface com o usuário).

MDIS

Ver Metadata Interchange Specification.

.md.us

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Maryland, Estados Unidos.

mean time between failures

Ver MTBF.

mean time to repair tempo médio para conserto

Ver MTTR.

mechanical mouse mouse mecânico

Tipo de mouse em que o movimento de uma esfera na superfície inferior do dispositivo é convertido em sinais direcionais. Conforme o usuário movimenta o mouse, a esfera faz girar um par de coroas dentro do mouse. Essas coroas, por sua vez, fazem girar outras coroas através de um sistema de eixos e engrenagens. Pelo menos um par de coroas deverá ter marcas condutivas em sua superfície. Como as marcas permitem o fluxo da corrente elétrica, um conjunto de escovas condutivas que passam sobre a superfície das coroas condutivas consegue detectar as marcas condutivas. Os circuitos eletrônicos do mouse convertem os sinais eletromecânicos em informações sobre o movimento do mouse que podem ser usadas pelo computador. Ver também mouse; trackball. Comparar com optical mouse (mouse ótico); optomechanical mouse (mouse ótico-mecânico; mouse optomecânico).

media meios, mídia

Termo coletivo que se refere a materiais físicos, como o papel, o disco e a fita, usados para o armazenamento de informações baseadas no computador.

media access control controle de acesso ao meio físico

Ver IEEE 802 standards (padrões IEEE 802).

Media Control Interface

Ver MCI (definição 1).

media eraser apagador

Dispositivo que elimina de forma indiscriminada os dados de um meio de armazenamento, geralmente gravando sobre eles outros dados sem qualquer significado (por exemplo, zeros). Ver também bulk eraser (dispositivo de exclusão em alto volume).

media filter filtro de meio físico

1. Dispositivo usado em redes locais (LANs) como um adaptador entre dois diferentes tipos de mídia. Por exemplo, um conector RJ-45 pode ser usado entre cabos coaxiais e UTP (Unshielded Twisted Pair). Os filtros de mídia se assemelham em função aos transceptores. A exemplo do que ocorre com muitos componentes de LANs, os fabricantes costumam escolher diferentes nomes para produtos semelhantes. Por isso, é necessário que um especialista em LAN decida quais os filtros de mídia apropriados para determinada LAN. Ver também coaxial cable (cabo coaxial); connector (conector – definição 1), LAN, transceiver (transceptor); UTP. 2. Dispositivo acrescentado a redes de dados para eliminar, por filtragem, ruídos eletrônicos do ambiente. Por exemplo, um filtro de meio físico pode ser acrescentado a uma rede Ethernet baseada em cabeamento coaxial para impedir a perda de dados causada pela interferência de equipamentos eletrônicos próximos. Ver também coaxial cable (cabo coaxial); Ethernet (definição 1).

medium1 média

Parte central de uma faixa de valores possíveis.

medium2 meio físico

1. Substância em que os sinais podem ser transmitidos, como um fio ou cabo de fibra ótica. 2. Ver media (meios, mídia).

medium model modelo médio

Modelo de memória da família de processadores 80x86 da Intel. O modelo médio aceita apenas 64 kilobytes (KB) de dados, mas geralmente até um megabyte (MB) de código. Ver também memory model (modelo de memória).

medium-scale integration integração em média escala

Termo que descreve a concentração de dez a cem circuitos em um único chip. Acrônimo: MSI. Ver também integrated circuit (circuito integrado).

meg

Ver megabyte.

mega-

Usa-se também a abreviatura M. Prefixo que significa 1 milhão (106). Na informática, que se baseia no sistema binário (base dois) de numeração, mega tem o valor literal de 1.048.576, que corresponde a 220 (a mais próxima de 1 milhão).

megabit

Usam-se também as abreviaturas Mb (principalmente) ou Mbit. Geralmente, 1.048.576 (220) bits. Algumas vezes interpretado como 1 milhão de bits.

megabyte

Usa-se também a abreviatura MB, podendo significar 1 milhão de bytes ou 1.048.576 (220) bytes.

megacycle megaciclo

Usa-se também a abreviatura MC. Termo que equivale a 1 milhão de ciclos – em geral, com o significado de 1 milhão de ciclos por segundo. Ver também megahertz.

megaflops

Ver MFLOPS.

megahertz

Usa-se também a abreviatura MHz. Medida de freqüência equivalente a 1 milhão de ciclos por segundo.

megapel display vídeo de megapixels

Ver megapixel display (vídeo de megapixels).

megapixel display vídeo de megapixels

Monitor de vídeo capaz de representar pelo menos 1 milhão de pixels. Por exemplo, um monitor de vídeo com uma tela de 1.024 pixels horizontais por 1.024 pixels verticais é um monitor de megapixels. Também chamado de megapel display (vídeo de megapixels).

member membro

1. Na programação orientada a objetos, uma variável ou rotina que faz parte de uma classe. Ver também C++; class (classe). 2. Valor que faz parte de um conjunto de dados. Ver também set2 (armar, ativar, definir, configurar – definição 1).

membrane keyboard teclado de membrana

Teclado em que um revestimento de plástico ou borracha (chamado de membrana) cobre todas as teclas que, por sua vez, têm pouco ou nenhum movimento. Em lugar de teclas de percurso longo, como as dos teclados normais, os teclados de membrana utilizam áreas sensíveis à pressão dos dedos que, na maioria das vezes, mas nem sempre, são definidas por pequenos ressaltos sob a membrana.

memo field campo-memo

Nos arquivos de banco de dados, um tipo de campo que pode receber dados de texto não-estruturados.

memory memória

Conjunto de circuitos que permite o armazenamento e a recuperação de informações. No sentido mais genérico, memória pode se referir a sistemas externos, como unidades de disco ou fita. No entanto, existe a tendência de se usar esse termo apenas para as áreas de armazenamento formadas por semicondutores rápidos (RAM) conectados diretamente ao microprocessador. Ver também core (núcleo); EEPROM; EPROM; flash memory (memória flash); PROM; RAM; ROM. Comparar com bubble memory (memória de bolhas); mass storage (memória de massa).

memory bank banco de memória

Posição física em uma placa-mãe na qual um módulo de memória pode ser inserido. Ver também bank (banco – definição 1).

memory cache cache de memória

Ver CPU cache (cache da CPU).

memory card placa de memória

Módulo de memória que é usado para ampliar a capacidade de armazenamento da RAM ou no lugar de um disco rígido em um computador portátil, como um laptop, notebook ou PC de mão. O módulo tem em geral o tamanho de um cartão de crédito e pode ser conectado a um computador compatível com PCMCIA. O módulo pode ser composto de chips de memória EPROM, RAM ou ROM ou memória flash. Também chamada de RAM card (placa de RAM); ROM card (placa de ROM). Ver também EPROM; flash memory (memória flash); handheld PC (PC de mão); hard disk (disco rígido); module (módulo – definição 2); PCMCIA; RAM; ROM.

memory cartridge cartucho de memória

Módulo de encaixe contendo chips de RAM (Random Access Memory), que podem ser usados para armazenar dados ou programas. Os cartuchos de memória são usados especialmente nos computadores portáteis como substitutos menores, mais leves – e mais caros – das unidades de disco. Os cartuchos de memória costumam utilizar uma forma não-volátil de RAM, que não perde o conteúdo quando a corrente é desligada, ou uma RAM sustentada por bateria, que mantém o conteúdo obtendo corrente de uma bateria recarregável localizada dentro do cartucho. Também chamado de RAM cartridge (cartucho de RAM). Ver também memory card (placa de memória); RAM. Comparar com ROM cartridge (cartucho de ROM).

memory cell célula de memória

Circuito eletrônico que armazena um bit de dados. Ver também bit.

memory chip chip de memória

Circuito integrado dedicado ao armazenamento da memória. O armazenamento da memória pode ser volátil e armazenar os dados temporariamente, como a RAM, ou não-volátil e armazenar os dados permanentemente, como ROM, EPROM, EEPROM e PROM. Ver também EEPROM; EPROM; integrated circuit (circuito integrado); nonvolatile memory (memória não-volátil); PROM; RAM; volatile memory (memória volátil).

memory management gerenciamento da memória

1. Nos sistemas operacionais dos computadores pessoais, procedimentos destinados a otimizar a utilização da RAM (Random Access Memory). Esses procedimentos abrangem o armazenamento seletivo de dados, o monitoramento cuidadoso desses dados e a liberação da memória quando os dados deixam de ser necessários. Muitos dos sistemas operacionais atuais otimizam sozinhos o uso da RAM. Alguns sistemas operacionais mais antigos, como as primeiras versões do MS-DOS, exigiam o uso de utilitários de outros fornecedores para otimizar o uso da RAM e necessitavam que o usuário tivesse bons conhecimentos acerca da maneira como o sistema operacional e as aplicações utilizavam a memória. Ver também memory management unit (unidade de gerenciamento da memória). 2. Na programação, o processo que consiste em garantir que um programa libere as áreas da memória quando elas deixam de ser necessárias. Em algumas linguagens, como o C e o C++, o programador deve controlar o uso que o programa faz da memória. A Java, uma linguagem mais recente, libera automaticamente todas as áreas da memória que não estão mais em uso. Ver também C; C++; garbage collection (coleta de lixo); Java.

memory management program programa de gerenciamento da memória

1. Programa usado para armazenar dados e programas na memória do sistema, monitorar a utilização da memória e reatribuir o espaço liberado após sua execução. 2. Programa que utiliza o espaço existente no disco rígido como uma extensão da RAM (Random Access Memory).

memory management unit unidade de gerenciamento da memória

Componente de hardware que permite o mapeamento de endereços de memória virtual para endereços de memória física. Em alguns sistemas, como os que se baseiam no microprocessador 68020, a MMU (memory management unit) fica separada do processador. No entanto, na maioria dos microcomputadores modernos, a MMU fica embutida no chip da CPU. Em alguns sistemas, a MMU faz a interface entre o microprocessador e a memória. Esse tipo de MMU costuma ser responsável pela multiplexação de endereços e, no caso das DRAMs, pela renovação dos endereços da memória. Acrônimo: MMU. Ver também physical address (endereço físico); refresh cycle (ciclo de renovação, ciclo de atualização, ciclo de redesenho); virtual address (endereço virtual).

memory model modelo de memória

Enfoque utilizado para endereçar o código e os dados utilizados por um programa de computador. O modelo de memória determina o percentual de memória que poderá ser usado em um programa para o código e o percentual que poderá ser reservado para os dados. A maioria dos computadores com espaço de endereçamento unidimensional costuma aceitar um único modelo de memória. Os computadores com espaço de endereçamento segmentado costumam aceitar vários modelos de memória. Ver também compact model (modelo compacto); flat address space (espaço de endereçamento contínuo, espaço de endereços contínuo); large model (modelo grande); medium model (modelo médio); segmented address space (espaço de endereçamento segmentado, espaço de endereços segmentado); small model (modelo pequeno); tiny model (modelo extrapequeno).

memory-resident residente na memória

Localizado permanentemente na memória de um computador, em vez de ser transferido de/para a memória conforme necessário. Ver também memory (memória); TSR.

memory size tamanho da memória

Capacidade de memória de um computador, em geral medida em megabytes. Ver também megabyte; memory (memória).

memory typewriter máquina de datilografia com memória

Máquina de datilografia elétrica com memória interna e em geral um pequeno vídeo de cristal líquido com uma única linha para observação do conteúdo dessa memória. As máquinas de datilografia com memória costumam comportar uma página de texto de cada vez e aceitam pequenas modificações nessa página de texto. Em geral, as máquinas de datilografia com memória não retêm o conteúdo da memória quando a corrente é desligada.

menu

Lista de opções na qual o usuário de um programa pode selecionar a ação desejada, como um comando ou a aplicação de um formato especial em uma parte de um documento. Muitos programas aplicativos, especialmente os que têm uma interface gráfica, usam menus como meio de oferecer ao usuário uma alternativa simples à memorização dos comandos e suas respectivas sintaxes.

menu bar barra de menus, linha de menus

Faixa retangular apresentada em geral na parte superior da janela de um programa aplicativo, na qual o usuário pode selecionar um entre os vários menus disponíveis. Os nomes dos menus disponíveis são apresentados na barra de menus. A seleção de um desses nomes com o teclado ou o mouse faz com que a lista de opções do menu correspondente seja mostrada na tela.

menu-driven baseado em menus

Adjetivo usado para descrever programas que utilizam menus para apresentar comandos e opções na tela. Os programas baseados em menus são considerados mais "amigáveis" e mais fáceis de aprender do que os programas com uma interface de linha de comandos. Comparar com command-line interface (interface de linha de comandos).

menu item item do menu, opção do menu

Uma das diversas possibilidades oferecidas por um menu, que pode ser selecionada através do teclado ou do mouse. Em determinados casos, os itens de um menu que não estão disponíveis no momento aparecem com menos intensidade em comparação com as opções válidas.

merge intercalar, unir

Combinar dois ou mais elementos – como duas listas – de maneira ordenada, sem modificar a estrutura básica de nenhuma das duas. Comparar com concatenate (concatenar).

merged transistor logic lógica de transistores intercalados

Ver integrated injection logic.

merge sort classificação por intercalação

Técnica de classificação que combina várias listas ordenadas (a entrada) em uma única lista ordenada (a saída). Ver também bubble sort (classificação de bolhas); insertion sort (classificação por inserção); quicksort; sort algorithm (algoritmo de classificação).

mesa

Área de uma lâmina de germânio ou silício protegida durante o processo de gravação e que, portanto, fica mais elevada do que as áreas gravadas adjacentes. Ver também photolithography (fotolitografia).

mesh network rede de malha

Rede de comunicação na qual há sempre dois ou mais percursos desembocando em cada nó.

message mensagem

1. Na comunicação, uma unidade de informação transmitida eletronicamente de um dispositivo para outro. A mensagem pode conter um ou mais blocos de texto, além de caracteres de abertura e fechamento (início e fim), caracteres de controle, um header ou cabeçalho gerado por software (endereço de destino, tipo da mensagem e outras informações semelhantes), além de informações para verificação de erros ou sincronização. A mensagem pode ser encaminhada diretamente do transmissor para o receptor através de um enlace físico, ou passada no todo ou em parte através de um sistema de comutação que a encaminhe de uma estação intermediária para outra. Ver também asynchronous transmission (transmissão assíncrona); block (bloco – definição 4); control character (caractere de controle – definição 1); frame (quadro; moldura – definição 1); frame (quadro; moldura – definição 2); header (cabeçalho – definição 2); message switching (comutação de mensagens); network (rede); packet (pacote – definição 1); packet switching (comutação de pacotes); synchronous transmission (transmissão síncrona). 2. No software, informação transmitida da aplicação ou do sistema operacional para o usuário com a finalidade de sugerir uma ação, indicar uma condição ou informar que um evento ocorreu. 3. Nos ambientes operacionais baseados em mensagens, como o underpop Windows, uma informação transmitida entre os programas que estão sendo executados, determinados dispositivos do sistema e o próprio ambiente operacional.

message header cabeçalho da mensagem

Seqüência de bits ou bytes localizada no início de uma mensagem, que em geral fornece uma base de sincronização e define alguns aspectos da estrutura da mensagem, como seu comportamento, formato de dados e número de identificação de bloco. Ver também header (cabeçalho – definição 2).

message of the day mensagem do dia, aviso do dia

Boletim diário apresentado aos usuários de uma rede, computador multiusuário ou outro sistema compartilhado. Em muitos casos, os usuários recebem a mensagem do dia quando efetuam login no sistema. Acrônimo: MOTD.

message queue fila de mensagens

Lista ordenada de mensagens que aguardam transmissão, de onde as mensagens são retiradas em uma base de "primeira a entrar, primeira a sair" (FIFO).

message reflection reflexão de mensagens

Nos ambientes de programação orientada a objetos, como o Visual C++, OLE e ActiveX, uma função que permite que um controle trate sua própria mensagem. Ver também ActiveX controls (controles ActiveX); control (controle – definição 2); OCX; VBX.

Message Security Protocol

Protocolo usado para mensagens da Internet que se baseia no uso de criptografia e verificação para garantir a segurança. O protocolo permite também o uso de permissões no nível do servidor para entrega e rejeição de mensagens de correio eletrônico. Acrônimo: MSP.

message switching comutação de mensagens

Técnica usada em algumas redes de comunicação nas quais uma mensagem contendo as informações de endereçamento apropriadas é encaminhada através de uma ou mais estações intermediárias de comutação antes de ser enviada a seu destino. Em uma rede típica de comutação de mensagens, um computador central recebe as mensagens, armazena-as (em geral, por um breve período), determina seus endereços de destino e, em seguida, entrega-as ao equipamento destinatário. A comutação de mensagens permite que, de uma só vez, uma rede regule o tráfego e use as linhas de comunicação com eficiência. Comparar com circuit switching (comutação de circuitos); packet switching (comutação de pacotes).

messaging troca de mensagens

Uso de computadores e equipamento de comunicação de dados para transmitir mensagens de uma pessoa a outra, por correio eletrônico, correio de voz ou fax.

messaging application aplicação de troca de mensagens

Aplicação que permite que os usuários enviem mensagens (como mensagens de correio eletrônico ou de fax) uns para os outros.

Messaging Application Programming Interface

Ver MAPI.

messaging client cliente de troca de mensagens

n. An application program that enables its user to send or receive messages (such as e-mail or fax) to and from other users with the help of a remote server.

metacharacter metacaractere

Caractere incorporado no código-fonte de um programa ou em um fluxo de dados para transmitir informações sobre outros caracteres, em vez de representar um caractere com "vida" própria. Um exemplo simples é a barra invertida ou contrabarra (\), que, quando usada em strings, na linguagem de programação C, indica que a letra seguinte faz parte de uma seqüência de escape, através da qual o C consegue apresentar na tela e na impressora caracteres não-gráficos. Ver também escape character (caractere de escape).

metacompiler metacompilador

Compilador que produz compiladores. O utilitário yacc ("Yet Another Compiler-Compiler" – literalmente "Mais um Compilador de Compiladores") do UNIX é um metacompilador. A partir da especificação de uma linguagem, o yacc produz um compilador para essa linguagem. Ver também compiler (compilador – definição 2).

Meta-Content Format

Formato aberto usado para descrever informações relacionadas ao conteúdo de um corpo de dados estruturado, como uma página da Web, um conjunto de arquivos em uma área de trabalho do Windows ou um banco de dados relacional. O Met-Content Format pode ser usado para índices, dicionários de dados ou listas de preços. Acrônimo: MCF.

meta data ou metadata metadados

Dados referentes a dados. Por exemplo, o título, o assunto, o autor e o tamanho de um arquivo constituem metadados referentes ao arquivo. Ver também data dictionary (dicionário de dados); repository (repositório).

Metadata Interchange Specification

Conjunto de especificações que tratam da troca, do compartilhamento e do gerenciamento de metadados. Ver também meta data (metadados).

metafile metarquivo

Arquivo que contém ou define outros arquivos. Muitos sistemas operacionais usam metarquivos para guardar um diretório dos arquivos contidos em um meio de armazenamento.

metalanguage metalinguagem

Linguagem usada para descrever outras linguagens. A forma de Backus-Naur (BNF) é uma metalinguagem que costuma ser usada para definir linguagens de programação. Também chamada de language-description language (linguagem de descrição de linguagens). Ver também Backus-Naur form (forma de Backus-Naur).

metal-oxide semiconductor semicondutor de óxido metálico

Ver MOS.

metal-oxide semiconductor field-effect transistor transistor de efeito de campo com semicondutor de óxido metálico

Ver MOSFET.

metaoperating system sistema metaoperacional

Sistema operacional em que vários outros sistemas operacionais são ativados. Também chamados de supervisor (supervisor).

method método

Na programação orientada a objetos, um processo executado por um objeto quando ele recebe uma mensagem. Ver também object (objeto – definição 2); object-oriented programming (programação orientada a objetos, programação baseada em objetos).

Metropolitan Area Exchange MAE (Metropolitan Area Exchange)

Ponto de interconexão de provedores de acesso à Internet situados em uma área metropolitana. Os dados enviados entre os participantes de uma MAE (Metropolitan Area Exchange) podem ser transmitidos diretamente de uma rede para outra sem passar por um backbone principal. Ver também backbone (definição 1); ISP.

metropolitan area network rede metropolitana

Ver MAN.

MFLOPS

Abreviatura de million floating-point operations per second. Medida da velocidade computacional. Também chamados de megaflops.

MFM encoding codificação MFM

Ver modified frequency modulation encoding (codificação por modulação de freqüência modificada).

MFS

Ver Macintosh File System.

.mg

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Madagascar.

mget

Abreviatura de multiple get. Comando de muitos clientes FTP com o qual um usuário pode solicitar a transferência de vários arquivos ao mesmo tempo. Ver também FTP1 (definição 1).

.mh

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado nas ilhas Marshall.

MHz

Ver megahertz.

MI

Ver multiple inheritance (herança múltipla).

MICR

Ver magnetic-ink character recognition (reconhecimento de caracteres de tinta magnética, leitura de caracteres de tinta magnética).

micro-

1. Em medidas inexatas, pequeno ou compacto, como em microprocessador ou microcomputador. 2. Prefixo métrico que significa 10-6 (um milionésimo).

Micro Channel Architecture

Projeto do barramento dos computadores IBM PS/2 (exceto os Modelos 25 e 30). O Micro Channel, ou Microcanal, é elétrica e fisicamente incompatível com o barramento do IBM PC/AT. Ao contrário do barramento do PC/AT, o Micro Channel funciona como um barramento de 16 ou 32 bits. O Micro Channel também pode ser utilizado independentemente por diversos processadores principais.

microchip

Ver integrated circuit (circuito integrado).

microcircuit microcircuito

Circuito eletrônico miniaturizado, como os circuitos gravados em lâminas de germânio e silício, característicos dos microprocessadores e outros produtos da indústria de semicondutores. Cada microcircuito se compõe de transistores, resistores e outros componentes interligados. Ao contrário dos componentes eletrônicos de gerações anteriores, porém, eles são fabricados como uma unidade, e não como um conjunto de válvulas e outros elementos ligados por fios. Ver também integrated circuit (circuito integrado).

microcode microcódigo

Código de muito baixo nível que define como um processador funciona. O microcódigo fica em um nível ainda mais baixo que a linguagem de máquina. Ele especifica o que o processador faz quando executa uma instrução em linguagem de máquina. Ver também machine code (código de máquina); microprogramming (microprogramação).

microcomputer microcomputador

Computador construído com base em um microprocessador montado em um único chip. Menos possante que os minicomputadores e os mainframes, os microcomputadores se transformaram, mesmo assim, em máquinas possantes, capazes de executar tarefas complexas. A tecnologia está avançando com tanta rapidez que os microcomputadores de topo de linha se tornaram tão possantes quanto os mainframes de alguns anos atrás, a um custo bem menor. Ver também computer (computador).

microelectronics microeletrônica

Tecnologia de construção de circuitos e dispositivos eletrônicos em invólucros muito pequenos. O avanço mais significativo na tecnologia da microeletrônica foi o circuito integrado. Os circuitos que, há 40 anos, exigiam uma sala cheia de válvulas a vácuo sedentas de energia podem ser fabricados hoje em um chip de silício menor que um selo postal, exigindo apenas alguns poucos miliwatts de potência. Ver também integrated circuit (circuito integrado).

microfiche microficha

Pequena folha de filme fotográfico, com cerca de dez por 15 cm (quatro por seis polegadas), usada para a gravação de imagens reduzidas, como páginas de documentos, em linhas e colunas, formando uma espécie de grade. As imagens resultantes são muito pequenas para que possam ser lidas a olho nu. Usa-se para isso uma leitora de microfichas. Comparar com microfilm (microfilme).

microfilm microfilme

Tira estreita de filme fotográfico enrolada em um carretel e utilizada para o registro de imagens seqüenciais de dados. A exemplo das microfichas, o microfilme depende de um dispositivo especial que amplie as imagens para que possam ser lidas. Ver também CIM (definição 2); COM (definição 4). Comparar com microfiche (microficha).

microfloppy disk minidisco

Disquete de 3,5 polegadas, do tipo usado com o Apple Macintosh, o IBM PS/1 e PS/2 e alguns computadores compatíveis. Os minidiscos são, em essência, um circulo de Mylar revestido com óxido férrico e alojado dentro de um invólucro de plástico duro. No Macintosh, os minidiscos de face simples contêm 400 kilobytes (KB), os minidiscos padrão contêm 800 KB, os minidiscos de alta densidade e face dupla contêm 1,44 megabytes (MB). No IBM e nas máquinas compatíveis com unidades de disco de 3,5 polegadas, os minidiscos podem conter 720 KB ou 1,44 MB de informações. Ver também floppy disk (disquete, disco flexível).

microform microforma

Meio – como o microfilme ou a microficha – no qual é armazenada uma imagem reduzida fotograficamente, chamada de microimagem. Em geral, as microimagens representam textos, como documentos arquivados. Ver também microfiche (microficha); microfilm (microfilme).

micrographics micrografia

Técnicas e métodos usados para o registro de dados em microfilme. Ver também microform (microforma).

microimage microimagem

Imagem reduzida fotograficamente, em geral armazenada em microfilme ou microficha, pequena demais para ser lida sem ampliação. Ver também microform (microforma); micrographics (micrografia).

microinstruction microinstrução

Instrução de máquina que faz parte do microcódigo. Ver também microcode (microcódigo).

microjustification microjustificação

Ver microspace justification (justificação com microespaçamento).

microkernel

1. Na programação, a parte estritamente dependente de hardware de um sistema operacional que foi projetado para poder ser transferido de um tipo de computador para outro. O microkernel oferece uma interface independente de hardware para o resto do sistema operacional e, assim, apenas o microkernel precisa ser alterado para transportar o sistema operacional para outra plataforma. Ver também kernel; operating system (sistema operacional). 2. Kernel projetado apenas com os recursos básicos e, em geral, de maneira modular.

micrologic micrológica

Conjunto de circuitos lógicos ou instruções eletrônicas, armazenados em forma binária, que definem e controlam o funcionamento de um microcomputador.

microminiature microminiatura

Circuito ou algum outro componente eletrônico extremamente pequeno, especialmente quando se trata de um refinamento de um elemento já miniaturizado.

microphone microfone

1. Dispositivo que converte ondas sonoras em sinais elétricos analógicos. O hardware adicional pode converter a saída do microfone em dados digitais que um computador é capaz de processar, por exemplo, para registrar documentos multimídia ou analisar o sinal sonoro. 2. Programa de comunicação executado no computador Apple Macintosh.

microprocessor microprocessador

CPU (Central Processing Unit) alojada em um único chip. Os microprocessadores modernos têm mais de 1 milhão de transistores em um circuito integrado com pouco mais de cinco centímetros quadrados. Os microprocessadores são o coração de todos os computadores pessoais. Quando a memória e a corrente elétrica são acrescentadas a um microprocessador – excluindo-se os periféricos –, todos os elementos necessários para a existência de um computador estão presentes. As linhas de microprocessadores mais conhecidas atualmente são a família 680x0 da Motorola, que equipa o Apple Macintosh, e a família 80x86 da Intel, que equipa o IBM PC (e seus compatíveis) e o IBM PS/2. Ver também 6502; 65816; 6800; 68000; 68020; 68030; 68040; 80286; 80386DX; 80386SX; 8080; 8086; 8088; 88000; DECchip 21064; i486DX; i486DX2; i486SL; i486SX; Pentium; Pentium Pro; Power PC; SPARC; Z80.

microprogramming microprogramação

Criação do microcódigo de um processador. Alguns sistemas (especialmente os minicomputadores e mainframes) permitem a modificação do microcódigo de um processador já instalado. Ver também microcode (microcódigo).

microsecond microssegundo

Abreviado como m s. Um milionésimo (10-6) de segundo.

underpop DOS

Ver MS-DOS.

underpop Internet Explorer

Ver Internet Explorer.

underpop Network underpop Network, Rede underpop

Ver The underpop Network.

underpop Windows

Ver Windows.

underpop Windows 95

Ver Windows 95.

microspace justification justificação com microespaçamento

Acréscimo de espaços finos entre os caracteres de uma mesma palavra com a finalidade de fazer com que uma linha fique justificada, em vez de se usar o acréscimo de espaço entre as palavras. A boa microjustificação dá ao texto justificado uma aparência mais elegante e profissional. Uma microjustificação excessiva faz com que as palavras percam a coerência visual. Também chamada de microjustification (microjustificação). Ver também justify (justificar – definição 2); microspacing (microespaçamento).

microspacing microespaçamento

Na impressão, o processo que consiste em ajustar o posicionamento dos caracteres em incrementos muito pequenos.

microtransaction microtransação

Transação comercial que envolve uma quantia muito pequena, em geral menos de US$5. Ver também millicent technology (tecnologia do milésimo de centavo).

microwave relay transmissor de microondas

Linha de comunicação que utiliza transmissões de rádio ponto a ponto em freqüências superiores a cerca de um gigahertz (mil megahertz).

middleware

1. Software que se situa entre dois ou mais tipos de software e converte informações entre eles. O middleware pode abranger um amplo espectro de software e em geral se situa entre uma aplicação e um sistema operacional, um sistema operacional de rede ou um sistema de gerenciamento de bancos de dados. Alguns exemplos de middleware abrangem o CORBA e outros programas ORB (Object Request Broker) e programas de controle de rede. Ver também CORBA. 2. Software que oferece uma API (Application Programming Interface) comum. As aplicações criadas com a utilização dessa API serão executadas nos mesmos sistemas de computador que o middleware. Um exemplo desse tipo de middleware é o ODBC, que tem uma API comum para vários tipos de banco de dados. Ver também application programming interface (interface de programas aplicativos); ODBC. 3. Ferramentas de desenvolvimento de software que permitem que os usuários criem programas simples através da seleção de serviços existentes e da vinculação desses serviços a uma linguagem de criação de scripts. Ver também scripting language (linguagem de criação de scripts).

MIDI

Acrônimo de Musical Instrument Digital Interface. Padrão de interface serial que permite a conexão de sintetizadores, instrumentos musicais e computadores. O padrão MIDI se baseia parcialmente em hardware e parcialmente em uma descrição da forma como a música e o som devem ser codificados e comunicados entre dispositivos que obedecem a esse padrão. As informações transmitidas entre dispositivos MIDI são acondicionadas em um formato denominado MIDI message (mensagem MIDI), que transforma aspectos sonoros, como, por exemplo, pitch e volume em informações digitais codificadas de oito bits. Dispositivos MIDI podem ser utilizados na criação, gravação e reprodução de música. Com a utilização do MIDI, computadores, sintetizadores e seqüenciadores podem se comunicar entre si e fazer o acompanhamento ou mesmo controlar as seqüências musicais criadas em outros equipamentos conectados. Ver também synthesizer (sintetizador).

midrange computer computador de médio porte

Computador de tamanho médio. O termo é usado como sinônimo de minicomputador, exceto pelo fato de que os computadores de médio porte não contêm estações de trabalho de um único usuário. Ver também minicomputer (minicomputador).

migration migração

Processo que consiste em fazer as aplicações e os dados existentes funcionarem em outro computador ou sistema operacional.

.mil

No DNS (Domain Name System) da Internet, o domínio de nível mais alto que identifica endereços operados por organizações militares dos Estados Unidos. A designação .mil aparece no final do endereço. Ver também DNS (definição 1); domain (domínio – definição 3). Comparar com .com; .edu; .gov; .net; .org.

Military Network

Ver MILNET.

milli- mili

Usa-se também a abreviatura m. Prefixo que significa um milésimo (como em milissegundo, 0,001 segundo, ou 10-3 segundos).

millicent technology tecnologia do milésimo de centavo

Conjunto de protocolos usado para transações comerciais de pequena escala via Internet, desenvolvido pela Digital Equipment Corporation. A tecnologia do milésimo de centavo tem o objetivo de tratar compras de informações a preços inferiores a um centavo.

millions of instructions per second milhões de instruções por segundo

Ver MIPS.

millisecond milissegundo

Usam-se também as abreviaturas ms e msec (esta, apenas em inglês). Um milésimo de um segundo.

millivolt milivolt

Usa-se também a abreviatura mV. Um milésimo de um volt.

MILNET

Abreviatura de Military Network. Rede remota que representa a parte militar da ARPANET original. A MILNET transporta o tráfego militar norte-americano não-classificado. Ver também ARPANET. Comparar com NSFnet.

MIMD

Acrônimo de multiple instruction, multiple data Stream Processing. Categoria de arquitetura de computador envolvida no processamento paralelo em que as CPUs (Central Processing Units) buscam instruções e processam dados de forma independente. Ver também architecture (arquitetura – definição 1); central processing unit (unidade central de processamento); instruction (instrução); parallel processing (processamento paralelo). Comparar com SIMD.

MIME

Acrônimo de Multipurpose Internet Mail Extensions. Padrão que amplia o SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) para permitir que dados, como vídeo, som e arquivos binários, sejam transmitidos pelo correio eletrônico da Internet sem precisar de conversão prévia para o formato ASCII. Isso é feito através da utilização de tipos MIME, que descrevem o conteúdo de um documento. Uma aplicação compatível com MIME que envia um arquivo, como alguns programas de correio eletrônico, atribui um tipo MIME ao arquivo. A aplicação receptora, que deve também ser compatível com MIME, consulta uma lista padronizada de documentos que estão organizados em tipos e subtipos MIME para interpretar o conteúdo do arquivo. Por exemplo, um tipo MIME é text (texto) e tem vários subtipos, como plain (simples) e html. Um tipo MIME text/html se refere a um arquivo que contém texto criado em HTML. O MIME faz parte do HTTP, e tanto os navegadores da Web como os servidores HTTP usam o MIME para interpretar os arquivos de correio eletrônico que enviam e recebem. Ver também HTTP; HTTP server (servidor HTTP); Simple Mail Transfer Protocol; Web browser (navegador da Web). Comparar com BinHex1 (definição 1).

miniaturization miniaturização

No desenvolvimento de circuitos integrados, o processo de redução do tamanho e aumento da densidade dos transistores e outros elementos montados no chip semicondutor. Além de oferecer todas as vantagens do pequeno tamanho, a miniaturização dos circuitos eletrônicos reduz o consumo de energia e diminui a demora na propagação dos sinais entre os elementos do circuito. A compactação de grandes quantidades de elementos de circuitos em um único chip, conhecida como integração, tem sido um fator importante na miniaturização dos componentes eletrônicos. Ver também integrated circuit (circuito integrado); integration (integração – definição 2).

minicomputer minicomputador

Computador de médio porte construído para se encarregar de operações complexas e, ao mesmo tempo, processar com eficiência um alto volume de tráfego de entrada e saída com usuários conectados através de terminais. É comum também que os minicomputadores sejam conectados a outros minicomputadores, em rede, permitindo a distribuição da carga de processamento entre eles. Os minicomputadores são muito utilizados em aplicações de processamento de transações e como interfaces entre mainframes e redes remotas. Ver também computer (computador); mainframe computer (mainframe, computador de grande porte); microcomputer (microcomputador); supercomputer (supercomputador); wide area network (rede remota). Comparar com midrange computer (computador de médio porte); workstation (estação de trabalho – definição 2).

mini-driver architecture arquitetura de minidriver

Arquitetura do Windows 3.1 e do Windows 95 que utiliza um driver simples e relativamente pequeno, que contém todas as instruções adicionais necessárias a um dispositivo de hardware específico, para funcionar como interface para o driver universal dessa classe de dispositivos. Ver também driver.

minifloppy disquete de 5,25 polegadas

Disquete (disco flexível) de 5,25 polegadas. Ver também floppy disk (disquete, disco flexível).

minimize minimizar

vEm uma interface gráfica com o usuário, ocultar uma janela sem fazer shut down no programa responsável pela janela. Em geral, um ícone, botão ou nome referente à janela é apresentado na área de trabalho. E, quando o usuário dá um clique sobre esse ícone, botão ou nome, a janela volta ao tamanho anterior. Ver também graphical user interface (interface gráfica com o usuário, GUI); Minimize button (botão Minimizar); taskbar (barra de tarefas); window (janela). Comparar com maximize (maximizar).

Minimize button botão Minimizar

No Windows 3.x, no Windows 95 e no Windows NT, um botão localizado no canto superior direito de uma janela que, quando clicado, oculta a janela. No Windows 3.x e no Windows NT 3.5 e em versões mais antigas, é apresentado na área de trabalho um ícone que representa a janela. No Windows 95 e no Windows NT 4.0, o nome da janela é apresentado na barra de tarefas, localizado na parte inferior da tela da área de trabalho. Quando o ícone ou o nome é clicado, a janela volta ao tamanho anterior. Ver também graphical user interface (interface gráfica com o usuário, GUI); taskbar (barra de tarefas); window (janela).

miniport drivers drivers de miniportas

Drivers que contêm informações específicas do dispositivo que se comunicam com driver de porta que não são específicos do dispositivo, que, por sua vez, se comunicam com o sistema. Ver também driver.

minitower minitorre

Gabinete vertical de computador que tem cerca da metade da altura (33 cm) do gabinete torre (60 cm). Ver também tower (torre).

minor key chave alternativa

Ver alternate key (chave alternativa, tecla Alt – definição 1).

MIP mapping mapeamento MIP

Abreviatura de multum in parvo (do latim, "muito em pouco") mapping. Tipo de mapeamento em que a aparência de uma imagem de mapa de bits é pré-calculada a partir de uma distância e usada em um recurso de mapeamento de textura. Isso permite que imagens com mapeamento de textura aperfeiçoada sejam calculadas à distância, pois a conversão de pixels pode alterar as cores em relação à percepção humana.

MIPS

Acrônimo de millions of instructions per second. Medida comum da velocidade do processador. Ver também central processing unit (unidade central de processamento); MFLOPS.

mirror image imagem espelhada

Imagem que é uma duplicata exata da original, exceto pelo fato de que uma dimensão é invertida. Por exemplo, "<" e ">" são imagens espelho.

mirroring espelhamento, reverso

Na computação gráfica, a capacidade de apresentar uma imagem inversa de um gráfico – uma representação girada ou refletida em relação a alguma referência, como um eixo de simetria.

mirror site site espelhado

Servidor de arquivos que contém um conjunto de arquivos que é uma duplicata do conjunto existente em um servidor conhecido. Os sites espelho existem para dividir a carga de distribuição por mais de um servidor ou eliminar a necessidade de usar circuitos internacionais de alto custo.

MIS

Ver management information service (serviço de informações gerenciais); management information system (sistema de informações gerenciais).

misc. newsgroups newsgroups misc.

Newsgroups da Usenet que fazem parte da hierarquia misc. e têm o prefixo misc. Esses newsgroups abrangem tópicos que não se enquadram nas outras hierarquias padrão da Usenet (comp., news., rec., sci., soc., talk.). Ver também newsgroup; traditional newsgroup hierarchy (hierarquia tradicional de newsgroup); Usenet.

.mi.us

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Michigan, Estados Unidos.

mixed cell reference endereçamento misto

Nas planilhas, uma referência de célula (o endereço de uma célula necessária à resolução de uma fórmula) em que a linha ou a coluna é relativa (automaticamente alterada quando a fórmula é copiada ou movida para outra célula), ao passo que a outra é absoluta (não é alterada quando a fórmula é copiada ou movida). Ver também cell (célula – definição 1).

.mk

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado na Macedônia.

.ml

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Mali.

.mm

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Myanmar.

MMU

Ver memory management unit (unidade de gerenciamento da memória).

MMX

Acrônimo de Multimedia Extensions. Aprimoramento da arquitetura de processadores Pentium da Intel que melhora o desempenho de aplicações multimídia e de comunicação.

.mn

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado na Mongólia.

mnemonic mnemônico

Palavra, rima ou algum outro recurso utilizado para associar um conjunto complexo ou extenso de informações a algo que seja simples e fácil de lembrar. Os mnemônicos são muito usados na informática. As linguagens de programação, excetuando-se a linguagem de máquina, são conhecidas como linguagens simbólicas pelo fato de usarem mnemônicos curtos como ADD (de addition) e def (de definition) para representar instruções e operações. Da mesma forma, os sistemas operacionais e aplicações baseados em comandos digitados no teclado usam mnemônicos para representar as instruções enviadas ao programa. Por exemplo, o MS-DOS usa dir (de directory) para solicitar uma lista de arquivos.

MNP10

Abreviatura de Microcom Networking Protocol, Class 10. Protocolo de comunicação padrão do setor usado para conexões por modem em linhas telefônicas celulares analógicas. A versão mais recente do MNP10 é o MNP 10 EC (EC significa Enhanced Cellular). Ver também communications protocol (protocolo de comunicação).

.mn.us

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Minnesota, Estados Unidos.

.mo

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Macau.

mobile computing computação móvel

Processo que consiste em usar um computador durante uma viagem. A computação móvel exige em geral um computador portátil alimentado por bateria, em vez de um sistema de mesa.

mode modo

Estado operacional de um computador ou programa. Por exemplo, o modo de edição é o estado no qual o programa aceita alterações nos arquivos. Ver também address mode (modo de endereçamento); compatibility mode (modo de compatibilidade); safe mode (modo seguro); video mode (modo de vídeo); virtual real mode (modo real virtual).

modec

Na telecomunicação, um dispositivo que gera sinais de modem analógicos digitalmente. O termo modec é uma combinação dos termos modem e codec. Ver também codec (definição 1); modem.

model modelo

Representação matemática ou gráfica de uma situação ou objeto do mundo real. Por exemplo, um modelo matemático da distribuição da matéria no universo, um modelo numérico (planilha) de um negócio, ou um modelo gráfico de uma molécula. Em geral, os modelos podem ser modificados ou manipulados para que seus criadores observem como a versão real seria afetada pela alteração ou variação das condições. Ver também modeling (modelagem); simulation (simulação).

modeling modelagem

1. Uso dos computadores para descrever o comportamento de um sistema. Os programas de planilha, por exemplo, podem ser usados para manipular dados financeiros, representar a saúde e o nível de atividade da empresa, desenvolver planos ou projeções ou avaliar o impacto de alguma transformação sobre as operações ou a situação financeira da empresa. Ver também simulation (simulação); spreadsheet program (planilha, programa de planilha). 2. Uso de computadores para descrever objetos físicos e a relação espacial entre eles matematicamente. Os programas de CAD, por exemplo, são usados para criar representações na tela de objetos físicos como ferramentas, prédios de escritórios, moléculas complexas e automóveis. Os modelos se baseiam em equações para criar linhas, curvas e outras formas e para colocar essas formas em uma relação precisa entre si e com o espaço bidimensional ou tridimensional em que são desenhadas. Ver também CAD; rendering (renderização); solid model (modelo sólido); surface modeling (modelagem de superfície); three-dimensional model (modelo tridimensional); two-dimensional model (modelo bidimensional); wire-frame model (modelo de arame).

modem

Abreviatura de modulator/demodulator. Equipamento de comunicação que permite a um computador transmitir informações por linhas telefônicas comuns. Como o computador é digital (ou seja, opera com sinais elétricos discretos que representam os valores binários um e sero) e as linhas telefônicas são analógicas (ou seja, transportam sinais que podem variar dentro de uma faixa contínua de valores), os modems são necessários para converter informações digitais em analógicas e vice-versa. Durante a transmissão, o modem impõe (modula) os sinais digitais do computador sobre uma freqüência portadora contínua da linha telefônica. Na porta receptora, outro modem extrai (demodula) as informações da portadora e as transfere em forma digital para outro computador. Além de transmitirem e receberem dados, os modems sofisticados são capazes de executar funções como a discagem, rediscagem e resposta automática. No entanto, sem os softwares de comunicação apropriados, os modems não conseguem fazer nada de útil. Ver também baud rate (taxa de transmissão de dados).

modem bank banco de modems

Conjunto de modems conectado a um servidor mantido por um ISP ou pelo operador de um BBS ou LAN de acesso remoto. Muitos bancos de modems são configurados para permitir que um usuário remoto disque um único número de telefone que roteia as chamadas para um número de telefone disponível no banco. Ver também BBS (definição 1); ISP; LAN.

modem eliminator eliminador de modem

Dispositivo que permite aos computadores se comunicarem sem o auxílio de modems. Ver também null modem (modem nulo).

modem port porta de modem

Porta serial usada para conectar um modem externo a um computador pessoal. Ver também modem; serial port (porta serial).

modem ready modem ready

Ver MR.

moderated mediados, moderados

Sujeitos à análise de um moderador, que pode remover mensagens, artigos irrelevantes ou ofensivos antes de redistribuí-los através de um newsgroup, lista de correspondência ou outro sistema de troca de mensagens.

moderated discussion debate mediado, debate moderado

Comunicação que ocorre em uma lista de correspondência, newsgroup ou outro fórum online que é editada por um moderador. Quando alguém envia uma mensagem para o debate moderado, o moderador decide se a mensagem é relevante ao tópico em debate. Se for relevante, a mensagem será encaminhada ao grupo de debate. O conteúdo de um debate moderado é em geral considerado de melhor qualidade que o de um debate não-moderado, pois as informações são antes lidas e aprovadas por um "fiscal", que (presumivelmente) elimina as mensagens irrelevantes. Alguns moderadores também eliminam materiais obscenos, pornográficos ou ofensivos. Ver também mailing list (lista de correspondência, lista de mala direta); moderator (mediador, moderador); newsgroup.

moderator mediador, moderador

Em alguns newsgroups e listas de correspondência da Internet, a pessoa pela qual todas as mensagens passam antes de serem distribuídas aos membros do newsgroup ou lista. O moderador descarta ou edita as mensagens que não são consideradas adequadas. Ver também mailing list (lista de correspondência, lista de mala direta); newsgroup.

modified frequency modulation encoding codificação por modulação de freqüência modificada

Método amplamente utilizado para o armazenamento de dados em discos. A codificação MFM (Modified Frequency Modulation) se baseia em uma técnica anterior denominada frequency modulation encoding (codificação por modulação de freqüência), porém aumenta sua eficiência reduzindo a necessidade de informações de sincronização e baseando a codificação magnética de cada bit no status do bit gravado anteriormente. A técnica MFM coloca mais informações no disco que a modulação de freqüência simples, sendo usada em muitos tipos de disco rígido. No entanto, ela não é tão eficiente em termos de economia de espaço quanto uma técnica denominada run-length limited encoding (codificação RLL). Comparar com frequency modulation encoding (codificação por modulação de freqüência); run-length limited encoding (codificação RLL).

modifier key tecla modificadora

Tecla que, quando mantida pressionada quando outra tecla também é pressionada, altera o significado do pressionamento de teclas. Ver também Alt key (tecla Alt); Command key (tecla Command); Control Key (tecla Control); Shift key (tecla Shift).

modify structure

Operador disponível em alguns gerenciadores de bancos de dados que permite a inclusão e eliminação de campos (colunas) sem a necessidade de se reconstruir todo o banco de dados.

MO disk disco MO

Ver magneto-optic disc (disco ótico-magnético).

MO disk drive unidade de disco MO

Ver magneto-optic disc (disco ótico-magnético).

Modula-2

Linguagem modular de alto nível criada em 1980 por Niklaus Wirth. Derivada do Pascal, a Modula-2 se destaca pela ênfase na programação modular, o suporte à abstração de dados e a inexistência de funções e procedures padrão. Ver também modular programming (programação modular).

modular design projeto modular

Enfoque de projeto de hardware ou software em que um projeto é dividido em unidades menores, ou módulos, cada um dos quais podendo ser desenvolvido, testado e concluído de forma independente, e depois integrado ao produto final. Cada unidade é projetada de forma a realizar uma tarefa ou função específica e, portanto, pode se tornar parte de uma "biblioteca" de módulos que, em muitos casos, pode ser reutilizada em outros produtos com requisitos semelhantes. Na programação, por exemplo, um módulo poderia ser composto de instruções para a movimentação do cursor dentro de uma janela. Se for construído deliberadamente como uma unidade independente, capaz de funcionar com outras seções do programa, o mesmo módulo poderá executar a mesma tarefa em outros programas, poupando tempo de desenvolvimento e teste.

modular jack tomada modular

Ver phone connector (conector telefônico).

modular programming programação modular

Enfoque de programação no qual o programa é dividido em vários módulos compilados de forma independente. Cada módulo exporta determinados elementos (constantes, tipos de dados, variáveis, funções e procedures). Todos os outros elementos são específicos (privativos) do módulo. Os outros módulos só podem utilizar os elementos exportados. Os módulos esclarecem e regularizam as interfaces entre as partes principais do programa. Portanto, eles facilitam os projetos de programação em grupo e estimulam práticas de programação confiáveis. A programação modular é a precursora da programação orientada a objetos. Ver também module (módulo – definição 1); object-oriented programming (programação orientada a objetos, programação baseada em objetos).

modulate modular

Alterar intencionalmente algum aspecto de um sinal, em geral com a finalidade de transmitir informações.

modulation modulação

1. Processo de alteração ou ajuste das características de uma onda portadora que vibra a certa amplitude (altura) e freqüência (tempo), de modo que suas variações representem informações significativas. 2. Na comunicação entre computadores, a modulação é o meio pelo qual um modem converte as informações digitais enviadas por um computador na forma de áudio necessária para a transmissão por linhas telefônicas.

module módulo

1. Na programação, um conjunto de rotinas e estruturas de dados que executam uma tarefa determinada ou implementam um tipo específico de dados abstratos. Em geral, os módulos têm duas partes: uma interface, que relaciona as constantes, tipos de dados, variáveis e rotinas que podem ser acessados por outros módulos ou rotinas, e uma implementação privativa (acessível apenas pelo módulo) contendo o código-fonte que implementa as rotinas do módulo. Ver também abstract data type (abstrato, tipo de dados); information hiding (ocultamento de informações); Modula-2; modular programming (programação modular). 2. No hardware, um componente autônomo que pode fornecer uma função completa a um sistema e ser trocado por outros módulos que forneçam funções semelhantes. Ver também memory card (placa de memória); SIMM.

modulo resto

Operação matemática cujo resultado é o resto de uma operação de divisão. Por exemplo, 17 modulo 3 = 2 porque 17 divididos por três deixam o resto dois. As operações de módulo ou resto são usadas na programação.

moiré

Distorção ondulada ou oscilação visível em uma imagem que é apresentada ou impressa com uma resolução inadequada. Vários parâmetros afetam padrões moiré, inclusive o tamanho e a resolução da imagem, resolução do dispositivo de saída e ângulo de tela em retícula.

molecular beam epitaxy epitaxia de feixe molecular

Processo usado na fabricação de dispositivos semicondutores, como circuitos integrados. A camada epitaxial é uma camada fina de material semicondutor. Os dispositivos que utilizam a epitaxia de feixe molecular criam essas camadas vaporizando o material e depois dirigindo um feixe de moléculas ao substrato em que a camada deve ser formada. Essa técnica permite a criação precisa de camadas muito finas.

monadic monádico

Ver unary (unário).

monitor monitor

Dispositivo em que são apresentadas as imagens geradas pelo adaptador de vídeo. O termo monitor se refere em geral ao vídeo e seu gabinete. O monitor fica ligado ao adaptador de vídeo por um cabo. Ver também CRT.

monochrome monocromático

Com relação aos computadores, um termo que identifica os monitores em que as imagens têm apenas uma cor – preto sobre branco (como nas telas originais do Apple Macintosh) e âmbar ou verde sobre preto (como nos monitores da IBM e outros). O termo também é aplicado a monitores que apresentam imagens em diversos tons de cinza.

monochrome adapter adaptador monocromático

Adaptador de vídeo capaz de gerar um sinal de vídeo para uma cor de primeiro plano ou, em determinados casos, uma faixa de intensidades da mesma cor, como nos monitores que apresentam escalas de cinza.

monochrome display vídeo monocromático

1. Vídeo capaz de representar apenas uma cor. A cor apresentada depende do fósforo do vídeo (em geral, verde ou âmbar). 2. Vídeo capaz de produzir imagens em uma faixa de intensidades da mesma cor, como nos monitores que apresentam escalas de cinza.

Monochrome Display Adapter

Ver MDA.

monochrome graphics adapter adaptador gráfico monocromático

Ver HGC.

monochrome monitor monitor monocromático

Ver monochrome display (vídeo monocromático).

monographics adapter adaptador monográfico

Termo genérico aplicado a qualquer adaptador de vídeo capaz de apresentar apenas textos e gráficos monocromáticos. Qualquer adaptador de vídeo funcionalmente compatível com a Hercules Graphics Card (HGC). Ver também HGC.

monospace font fonte com espaçamento uniforme, fonte monoespaçada

Fonte (conjunto de caracteres com o mesmo estilo e tamanho), como as da máquina de datilografia, na qual cada caractere ocupa o mesmo espaço horizontal independentemente de sua largura – por exemplo, um i ocupa o mesmo espaço que um m. Também chamada de fixed-width font (fonte de tamanho fixo). Ver também monospacing (espaçamento uniforme). Comparar com proportional font (fonte proporcional).

monospacing espaçamento uniforme

Tipo de espaçamento na tela e na impressão em que cada caractere ocupa o mesmo espaço horizontal na linha, quer seja largo (como um m) ou estreito (como um i). Também chamado de fixed spacing (espaço fixo); fixed-pitch spacing (espaçamento de pitch fixo); fixed-width spacing (espaçamento de tamanho fixo). Ver também monospace font (fonte com espaçamento uniforme, fonte monoespaçada). Comparar com proportional spacing (espaçamento proporcional).

Monte Carlo method método de Monte Carlo

Técnica matemática que usa cálculos repetidos e números aleatórios com a finalidade de encontrar soluções apropriadas para problemas complexos. O método de Monte Carlo, cujo nome se deve às semelhanças que possui com os jogos de azar, pode ser usado em situações em que é viável calcular a probabilidade de ocorrência de determinado evento mas não se consegue fatorar os efeitos complexos de vários outros fatores que possam contribuir para o resultado final. Os números aleatórios são utilizados mais ou menos como uma moeda que se joga para o alto, indicando que um evento pode ocorrer ou não. Com base no número obtido, são realizados outros cálculos.

.montreal.ca

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Montreal, Canadá.

MOO

Abreviatura de MUD, object oriented. Tipo de MUD (Multiuser Dungeon) que contém uma linguagem orientada a objetos com a qual os usuários podem criar áreas e objetos no MOO. Em geral, os MOOs se concentram mais na comunicação e na programação e menos nos jogos que os MUDs. Ver também MUD.

.moov

Extensão de arquivo que indica um arquivo de vídeo QuickTime MooV de um computador Macintosh. Ver também MooV.

MooV

Formato de arquivo dos filmes QuickTime que armazena trilhas sincronizadas para controle, vídeo, áudio e texto. Ver também QuickTime.

morphing

Abreviatura de metamorphosing. Processo pelo qual uma imagem é gradualmente transformada em outra, criando a ilusão de que uma metamorfose está ocorrendo em um curto período de tempo. Morphing é uma técnica de efeitos especiais de animação de vídeo e está disponível em vários pacotes de animação por computador. Ver também tween.

MOS

Acrônimo de metal-oxide semiconductor. Dispositivo semicondutor cujo projeto se baseia nas propriedades isolantes de alguns óxidos metálicos, como o óxido de alumínio ou o dióxido de silício. Os projetos de MOS são muito utilizados tanto em componentes isolados quanto em circuitos integrados. Os circuitos integrados de MOS têm como vantagens uma densidade muito alta de componentes, uma alta velocidade e um baixo consumo de energia. Os dispositivos construídos com essa tecnologia são, entretanto, muito sensíveis à eletricidade estática e, portanto, antes de serem instalados em um circuito precisam ser mantidos com os conectores enfiados em uma placa de isopor para impedir o acúmulo de cargas estáticas. Ver também FET; MOSFET.

Mosaic

Primeiro navegador gráfico popular da Web. Lançado na Internet no início de 1993 pelo NCSA (National Center for Supercomputing Applications) da Universidade de Illinois, em Urbana-Champaign, o Mosaic está disponível como freeware e shareware para sistemas baseados no Windows, no Macintosh e no X Window. O Mosaic difere dos navegadores da Web mais antigos pela facilidade de uso e pela inclusão de imagens em linha em documentos da Web. Também chamado de NCSA Mosaic.

MOSFET

Acrônimo de metal-oxide semiconductor field-effect transistor. Tipo comum de transistor de efeito de campo que usa uma camada de óxido metálico para isolar o portão do canal de corrente. Os MOSFETs têm uma impedância de entrada extremamente alta e, portanto, consomem pouquíssima energia. Eles são utilizados em diversas aplicações de áudio, inclusive em circuitos amplificadores de alto ganho. Como todos os semicondutores de óxido metálico (MOS), os MOSFETs são facilmente danificados pela eletricidade estática. Ver também FET; MOS.

most significant bit bit mais significativo

Em uma seqüência de um ou mais bytes, o bit de ordem mais elevada de um número binário, sem contar o bit de sinal. Acrônimo: MSB. Ver também high-order (ordem superior). Comparar com least significant bit (bit menos significativo).

most significant character caractere mais significativo

Caractere de ordem superior – mais à esquerda – de um string. Acrônimo: MSC. Ver também high-order (ordem superior). Comparar com least significant character (caractere menos significativo).

most significant digit dígito mais significativo

Em uma seqüência de um ou mais dígitos, o dígito de ordem superior. Em 456,78, 4 é o dígito mais significativo. Acrônimo: MSD. Comparar com least significant digit (dígito menos significativo).

MOTD

Ver message of the day (mensagem do dia, aviso do dia).

motherboard placa-mãe

Placa principal de circuitos de um computador, onde ficam seus componentes essenciais. A placa-mãe contém o microprocessador, a memória principal, os circuitos de apoio e a controladora e os conectores do barramento. Outras placas, inclusive as placas de expansão de memória e as placas de I/O, podem ser instaladas na placa-mãe através dos conectores do barramento. Ver também expansion slot (slot de expansão). Comparar com daughterboard (placa-filha).

Motion JPEG

Padrão destinado ao armazenamento de vídeo animado, proposto pelo JPEG (Joint Photographic Experts Group), que utiliza a compactação de imagens JPEG para cada quadro. Ver também JPEG (definição 1). Comparar com MPEG (definição 1).

mount montar

Tornar um disco ou fita acessível ao sistema de arquivos do computador. O termo é mais comum com referência ao acesso a discos no Apple Macintosh e sistemas baseados no sistema operacional UNIX.

mouse

Dispositivo de indicação comum. As características básicas de um mouse são: a "caixa" de fundo plano, projetada para se encaixar na palma da mão, um ou mais botões na parte superior, um dispositivo de detecção multidirecional (em geral, uma esfera) na parte inferior e um cabo que o conecta ao computador. Movimentando o mouse sobre uma superfície plana (uma mesa, por exemplo), o usuário controla um cursor na tela. O mouse é um dispositivo de indicação relativo, porque não há limites definidos para seu movimento e porque sua posição na superfície não é mapeada diretamente em uma posição específica da tela. Para selecionar objetos ou comandos na tela, o usuário pressiona um dos botões do mouse, produzindo um clique. Ver também bus mouse (mouse de barramento); mechanical mouse (mouse mecânico); optical mouse (mouse ótico); optomechanical mouse (mouse ótico-mecânico, mouse optomecânico); relative pointing device (dispositivo relativo de indicação); serial mouse (mouse serial). Comparar com trackball.

MouseKeys Teclas do Mouse

Recurso do underpop Windows que permite que um usuário utilize o teclado numérico para mover o ponteiro do mouse. As Teclas do Mouse foram projetadas basicamente para as pessoas que têm limitações físicas que dificultem a movimentação de um mouse convencional. Ver também mouse.

mouse pad

Superfície sobre a qual um mouse pode ser movimentado, em geral uma almofada retangular feita de borracha, coberta com tecido, proporcionando maior tração que a superfície de uma mesa de madeira ou vidro. Ver também mouse.

mouse pointer ponteiro do mouse

Elemento da tela cuja posição se altera à medida que o usuário movimenta o mouse. Dependendo da posição do ponteiro do mouse e da operação do programa com que ele está operando, a área da tela em que o ponteiro é apresentado funciona como o alvo de uma ação quando o usuário pressiona um dos botões do mouse. Ver também block cursor (cursor retangular); cursor (cursor – definição 3).

mouse port porta do mouse

1. Em muitos computadores compatíveis com o PC, um conector dedicado em que um mouse ou outro dispositivo indicador é conectado ao computador. Se uma porta do mouse não estiver disponível, uma porta serial poderá ser usada para conectar o mouse ao computador. Ver também connector (conector); mouse; pointing device (dispositivo de indicação, dispositivo indicador); serial port (porta serial). 2. Em um Macintosh, a porta ADB (Apple Desktop Bus). Ver também Apple Desktop Bus.

mouse scaling sensibilidade do mouse

Ver mouse sensitivity (sensibilidade do mouse).

mouse sensitivity sensibilidade do mouse

Relação entre o movimento do mouse e o movimento do cursor na tela. São duas as maneiras pelas quais a sensibilidade do mouse pode ser "ajustada". A primeira é a escolha de um mouse mais ou menos sensível. Quanto mais sensível o mouse, maior o movimento transmitido ao cursor a cada deslocamento do mouse sobre a mesa. A segunda é ajustar a sensibilidade do programa aplicativo ou do driver do mouse, de modo que o cursor fique mais sensível aos movimentos do mouse. O aumento da sensibilidade do programa ou do driver do mouse pode reduzir a necessidade de movimentação do mouse, facilitando o posicionamento preciso do cursor pelo usuário. A sensibilidade do programa ou do driver do mouse determina o número de movimentos do mouse por coordenadas da tela. A alta sensibilidade é preferível em aplicações precisas, como CAD/CAM e artes gráficas. A baixa sensibilidade é desejável para tarefas nas quais a movimentação rápida pela tela é importante, e para aplicações como o HyperCard, processadores de textos e planilhas, nas quais o cursor é usado basicamente para selecionar botões ou textos. Também chamada de mouse scaling (sensibilidade do mouse); mouse tracking (sensibilidade do mouse).

mouse tracking sensibilidade do mouse

Ver mouse sensitivity (sensibilidade do mouse).

mouse trails rastro do mouse, rastro do cursor

A criação de um rastro semelhante a uma sombra que acompanha o ponteiro do mouse na tela para facilitar sua localização. O rastro do ponteiro é útil em laptops e notebooks, especialmente naqueles que têm vídeos matriciais passivos ou em modelos mais antigos equipados com telas monocromáticas. A resolução relativamente baixa e o contraste dessas telas dificulta a identificação de um ponteiro pequeno. Ver também mouse pointer (ponteiro do mouse); submarining (desaparecimento).

.mov

Extensão de nome de arquivo usada para arquivos de filme no formato QuickTime da Apple. Ver também QuickTime.

move movimentação, reposicionamento

Transferir informações de um local para outro. Dependendo da operação realizada, o reposicionamento pode afetar os dados contidos na memória do computador ou o conteúdo de arquivos de dados. Por exemplo, na programação, uma instrução de reposicionamento (move) poderia transferir um único valor de uma posição da memória para outra. Por outro lado, nas aplicações, um comando semelhante poderia reposicionar um parágrafo de texto ou uma parte de um gráfico. Ao contrário dos procedimentos de cópia, que reproduzem as mesmas informações, o reposicionamento indica que as informações deixarão (ou poderão deixar) de ocupar a posição original Comparar com copy (cópia).

.movie

Ver .mov.

Moving Pictures Experts Group

Ver MPEG (definição 1).

Mozilla

Apelido do navegador da Web Netscape Navigator, criado pela Netscape Corporation. Ver também Mosaic; Netscape Navigator.

MPC

Ver Multimedia PC (PC multimídia).

.mpeg

Extensão que identifica arquivos de imagem gráfica no formato MPEG especificado pelo Moving Pictures Experts Group. Ver também MPEG.

MPEG

1. Acrônimo de Moving Pictures Experts Group. Conjunto de padrões de compactação de áudio e vídeo estabelecido pelo Joint ISO/IEC Technical Committee on Information Technology. O padrão MPEG tem diferentes tipos que foram projetados para funcionar em diferentes situações. Comparar com Motion JPEG. 2. Arquivo de áudio/vídeo no formato MPEG. Esses arquivos têm, em geral, a extensão .mpg. Ver também JPEG. Comparar com Motion JPEG.

MPEG-1

Padrão MPEG original usado para armazenar e recuperar informações de áudio e vídeo, projetado para a tecnologia do CD-ROM. O padrão MPEG-1 define uma largura de banda média de até 1,5 Mbps, dois canais de áudio e vídeo não-entrelaçado. Ver também MPEG (definição 1). Comparar com MPEG-2; MPEG-3; MPEG-4.

MPEG-2

Extensão do padrão MPEG-1 projetada para televisão por difusão, inclusive HDTV. O padrão MPEG-2 define uma largura de banda mais alta de até 40 Mbps, cinco canais de áudio, uma faixa mais ampla de tamanhos de quadro e vídeo entrelaçado. Ver também HDTV; MPEG (definição 1). Comparar com MPEG-1; MPEG-3; MPEG-4.

MPEG-3

Inicialmente um padrão MPEG projetado para HDTV (high-definition television), mas descobriu-se que o MPEG-2 poderia ser usado no lugar do MPEG-3. E, portanto, esse padrão não existe mais. Ver também HDTV; MPEG (definição 1). Comparar com MPEG-1; MPEG-2; MPEG-4.

MPEG-4

Padrão que está sendo desenvolvido e que foi projetado para videofones e aplicações multimídia. O MPEG-4 oferece uma largura de banda mais baixa de até 64 Kbps. Ver também MPEG (definição 1). Comparar com MPEG-1; MPEG-2; MPEG-3.

.mpg

Extensão de arquivo que identifica fluxos de dados codificados que contêm informações de áudio e vídeo, usando o formato especificado pelo MPEG (Moving Pictures Experts Group). Ver também MPEG (definição 1).

MP/M

Acrônimo de Multi-tasking Program for Microcomputers. Versão multiusuário e multitarefa do sistema operacional CP/M. Ver também CP/M.

MPOA

Acrônimo de Multi-Protocol Over ATM. Especificação estabelecida pelo ATM Forum (um grupo de usuários e fornecedores de redes ATM [Asynchronous Transfer Mode]) para integrar redes ATM a redes Ethernet, token ring e TCP/IP existentes. Ver também ATM (definição 1).

MPP

Ver massively parallel processing (processamento maciçamente paralelo); massively parallel processor (processador maciçamente paralelo).

MPPP

Ver Multilink Point-to-Point Protocol.

MPR II

Padrão usado para limitar as emissões de campos magnéticos e elétricos dos monitores de vídeo, inclusive a radiação VLF. O MPR II é um padrão voluntário que foi desenvolvido em 1987 pelo Swedish Board for Measurement and Testing e atualizado em 1990. Ver também VLF radiation (radiação VLF).

mput

Em muitos clientes FTP, o comando que instrui o cliente local a transmitir vários arquivos ao servidor remoto.

.mq

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado na Martinica.

.mr

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado na Mauritânia.

MR

Acrônimo de Modem Ready. Uma luz localizada no painel dianteiro de um modem que indica que o modem está pronto.

.ms

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Montserrat.

ms

Ver millisecond (milissegundo).

MSB

Ver most significant bit (bit mais significativo).

MSC

Ver most significant character (caractere mais significativo).

MSD

Ver most significant digit (dígito mais significativo).

MS-DOS

Acrônimo de Microsoft Disk Operating System. O MS-DOS – como os outros sistemas operacionais – supervisiona operações como o I/O de disco, o suporte ao vídeo, o controle do teclado e diversas funções internas relacionadas à execução de programas e à manutenção de arquivos. O MS-DOS é um sistema operacional monousuário e monotarefa com uma interface de linha de comandos, lançado em 1981 para IBM PCs e equipamentos compatíveis.

MS-DOS mode modo MS-DOS

Shell em que o ambiente MS-DOS é emulado em sistemas de 32 bits, com o Windows 95. Ver também MS-DOS; shell1 (shell, concha).

MS-DOS shell shell do MS-DOS

Ambiente shell baseado em um prompt de linha de comandos que permite a um usuário interagir com o MS-DOS ou com um sistema operacional que emule o MS-DOS.

MSDOS.SYS

Um dos dois arquivos de sistema ocultos instalados em um disco de inicialização do MS-DOS. O MSDOS.SYS, denominado IBMDOS.SYS nas versões da IBM do MS-DOS, contém o software que compõe o núcleo (kernel) do sistema operacional. Ver também IO.SYS.

msec

Ver millisecond (milissegundo).

MSI

Ver medium-scale integration (integração em média escala).

MSN

Ver The underpop Network.

MSP

Ver Message Security Protocol.

.ms.us

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado no Mississipi, Estados Unidos.

MS-Windows

Ver Windows.

.mt

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Malta.

MTBF

Acrônimo de mean time between failures. Intervalo médio de tempo, geralmente expresso em milhares ou dezenas de milhares de horas (às vezes chamadas de POH – power-on hours), transcorrido antes que um componente de hardware apresente defeito ou necessite de manutenção.

MTTR

Acrônimo de mean time to repair. Intervalo médio de tempo, geralmente expresso em horas, até que um componente de hardware precise ser consertado.

.mu

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado nas ilhas Maurício.

MUD, Object-Oriented

Ver MOO.

MUD

Acrônimo de multiuser dungeon. Ambiente virtual na Internet em que vários usuários participam ao mesmo tempo de um jogo de RPG e interagem em tempo real. Também chamado de multiuser simulation environment (ambiente de simulação multiusuário).

Multibus

Barramento de expansão criado pela Intel Corporation e amplamente utilizado pelos projetistas de estações de trabalho de alto desempenho. O Multibus, que é um barramento de grande largura de banda (capaz de transferir dados com extrema rapidez), permite que mais de um microprocessador controle o barramento. Ver também bus (barramento).

multicast backbone

Ver MBONE.

multicasting multicast

Processo usado para enviar uma mensagem simultaneamente a mais de um destino em uma rede.

Multi-Color Graphics Array

Ver MCGA.

multielement multielemento

Que se compõe de vários elementos de dados que têm o mesmo formato para o armazenamento do mesmo tipo de informação. Os elementos de dados podem ser variáveis simples, como em um array de variáveis inteiras, ou estruturas de dados mais complexas, como em um array de registros de funcionários, cada qual contendo campos com o nome, o número da seguridade social, o salário e outros dados relacionados a um funcionário.

multifile sorting classificação em diversos arquivos

Processo de classificação de um conjunto de dados que reside em mais de um arquivo.

MultiFinder

Versão do Finder, do Apple Macintosh, que permite a operação multitarefa. A principal utilidade do MultiFinder é permitir que diversas aplicações residam na memória ao mesmo tempo. Um clique do mouse faz com que o usuário passe de uma aplicação para outra, e as informações podem ser copiadas entre aplicações. Se a aplicação ativa puder operar em um ambiente multitarefa, as tarefas em segundo plano serão processadas de forma concorrente. Ver também Finder.

multifunction board placa multifuncional

Placa complementar que incorpora mais de uma função ao computador. As placas multifuncionais dos microcomputadores contêm, em geral, expansões de memória, portas paralelas/seriais e um relógio/calendário

multilayer várias camadas, multicamada

1. No projeto de placas, um termo que se refere a uma placa de circuitos impressos que tem duas ou mais camadas. Cada camada tem seus próprios traços metálicos para permitir a conexão elétrica entre os diversos componentes e com as outras camadas. As camadas são laminadas em grupo, resultando em uma única placa de circuitos na qual os componentes – como circuitos integrados, resistores e capacitores – são instalados. Os projetos com várias camadas permitem a definição de um número muito maior de caminhos discretos entre os componentes do que as placas de uma única camada. 2. No projeto auxiliado por computador (CAD), um termo que se refere a projetos – como circuitos eletrônicos – que são construídos usando-se diversas camadas, cada uma delas com um nível de detalhe diferente, ou com um objeto diferente, de modo que as várias partes do desenho possam ser manipuladas, sobrepostas ou retiradas com facilidade.

Multilink Point-to-Point Protocol

Protocolo da Internet que permite que os computadores estabeleçam vários enlaces físicos para combinar suas larguras de banda. Essa tecnologia cria um enlace virtual com maior capacidade que um único enlace físico. Acrônimo: MPPP. Ver também PPP.

multimedia multimídia

Combinação de som, elementos gráficos, animação e vídeo. No universo dos computadores, multimídia é um subconjunto de hipermídia, que combina os elementos acima mencionados ao hipertexto. Ver também hypermedia (hipermídia); hypertext (hipertexto).

Multimedia Extensions extensões de multimídia

Ver MMX.

Multimedia PC PC multimídia

Conjunto de padrões de software e hardware estabelecido pelo Multimedia PC Marketing Council, que define padrões mínimos para os recursos de reprodução de som, vídeo e CD-ROM de um PC. Acrônimo: MPC.

Multimedia Personal Computer

Ver Multimedia PC (PC multimídia).

multinode computer computador multinó

Computador que utiliza vários processadores para compartilhar a computação de uma tarefa complexa. Ver também central processing unit (unidade central de processamento); parallel processing (processamento paralelo).

multipart forms formulários com diversas vias

Formulários de impressão múltiplos com papel carbono entre as folhas (ou com um revestimento químico que funciona como carbono no verso de cada folha, exceto a última). Esses formulários também são chamados de carbonless forms (formulários sem carbono), cuja finalidade é produzir várias cópias simultâneas da saída em impressoras de impacto. Os formulários com diversas vias são identificados pelo número de vias que possuem: duas vias, três vias, e assim por diante.

multipass sort classificação em diversas passagens

Operação de classificação que exige (em geral, em virtude do algoritmo de classificação utilizado) duas ou mais passagens pelos dados de modo que o processo possa ser concluído. Ver também bubble sort (classificação de bolhas); insertion sort (classificação por inserção); Shell sort (classificação de Shell); sort algorithm (algoritmo de classificação).

multiple-document interface

Ver MDI.

multiple inheritance herança múltipla

Recurso de algumas linguagens de programação orientadas a objetos que permite a derivação de uma nova classe a partir de várias outras classes existentes. A herança múltipla amplia e combina os tipos existentes. Acrônimo: MI. Ver também class (classe); inherit (herdar); type (tipo).

multiple instruction, multiple data streams

Ver MIMD.

multiple-pass printing impressão com diversas passagens

Tipo de impressão matricial em que o cabeçote de impressão faz mais de uma passagem pela página, imprimindo cada linha duas vezes no mesmo local. A impressão com diversas passagens pode ser usada para tornar os caracteres mais escuros e compensar pequenos erros de alinhamento. Nas melhores impressoras, a segunda passagem é feita depois que o papel é puxado levemente para cima, de modo que os pontos dos caracteres se sobreponham, produzindo uma imagem mais nítida e mais escura.

multiple recipients múltiplos destinatários

1. Capacidade de enviar mensagens de correio eletrônico a mais de um usuário, ao mesmo tempo, listando mais de um endereço de correio eletrônico em uma linha. Os delimitadores, como vírgulas ou ponto-e-vírgulas, são usados para separar os endereços de correio eletrônico. Ver também e-mail1 (correio eletrônico, e-mail); mailing list (lista de correspondência, lista de mala direta). 2. Os assinantes de uma lista de correspondência. Uma mensagem enviada à lista é endereçada aos vários destinatários da lista.

multiple regression regressão múltipla

Técnica estatística que procura descrever o comportamento de uma variável considerada "dependente", com base no comportamento observado de diversas outras variáveis "independentes", capazes de afetá-la. Para cada variável independente, a análise de regressão é capaz de determinar o grau em que as alterações da variável independente afetam a variável dependente (o coeficiente de correlação da variável independente). Ver também dependent variable (variável dependente).

multiple-user system sistema multiusuário

Ver multiuser system (sistema multiusuário).

multiplexer multiplexador

1. Circuito de hardware que seleciona uma única saída com base em diversas entradas. 2. Dispositivo usado para o afunilamento de diversos fluxos de dados em uma única linha de comunicação. Os multiplexadores são usados para conectar várias linhas de comunicação a um número menor de portas de comunicação, ou para conectar várias portas de comunicação a um número menor de linhas de comunicação. Acrônimo: MUX.

multiplexer channel canal multiplexador

Uma das entradas de um multiplexador. Ver também multiplexer (multiplexador – definição 1).

multiplexing multiplexação

Técnica usada na comunicação e nas operações de entrada/saída para transmitir ao mesmo tempo diversos sinais diferentes por um mesmo canal ou linha. Para manter a integridade de cada sinal, a multiplexação pode separar os sinais por tempo, espaço ou freqüência. O dispositivo usado para combinar os sinais é um multiplexador. Ver também FDM; space-division multiplexing (multiplexação por divisão do espaço); time-division multiplexing (multiplexação por divisão de tempo).

multiplicand multiplicando

Na multiplicação, o número que é multiplicado por outro, o multiplicador. Na aritmética, o multiplicando e o multiplicador são intercambiáveis, dependendo de como o problema é enunciado, pois o resultado será o mesmo ainda que os termos sejam invertidos – por exemplo, 2 x 3 e 3 x 2. No entanto, nos cálculos aritméticos realizados por computador, o multiplicando é diferente do multiplicador porque, nos computadores, a multiplicação costuma ser feita através de uma série de somas. Portanto, 2 x 3 significa "some dois três vezes", ao passo que 3 x 2 significa "some três duas vezes". Ver também factor (fator). Comparar com multiplier (multiplicador – definição 1).

multiplier multiplicador

1. Na aritmética, o número que indica quantas vezes outro número (o multiplicando) será multiplicado. Ver também factor (fator). Comparar com multiplicand. 2. Na informática, um dispositivo eletrônico independente da CPU (Central Processing Unit) que faz a multiplicação somando o multiplicando segundo o valor dos dígitos do multiplicador.

multipoint configuration configuração com diversos pontos, configuração com multipontos, configuração multiponto

Enlace de comunicação em que diversas estações são conectadas seqüencialmente à mesma linha de comunicação. Em geral, a linha de comunicação é controlada por uma estação principal, como um computador, e as estações conectadas à linha são secundárias.

multiprocessing multiprocessamento

Modo de operação em que duas ou mais unidades de processamento conectadas e aproximadamente iguais executam, cada uma, um ou mais processos (programas ou conjuntos de instruções) em conjunto. No multiprocessamento, cada unidade de processamento atua sobre um conjunto de instruções diferente (ou partes diferentes do mesmo processo). O objetivo é aumentar a velocidade ou a capacidade de computação, a exemplo do que ocorre com o processamento paralelo e com o uso de unidades especiais chamadas de co-processadores. Comparar com coprocessor (co-processador); parallel processing (processamento paralelo).

Multi-Protocol Over ATM

Ver MPOA.

Multipurpose Internet Mail Extensions MIME (Multipurpose Internet Mail Extensions)

Ver MIME.

multiscan monitor monitor multifreqüência

Monitor de computador capaz de operar em diferentes freqüências de varredura para acomodar diferentes resoluções de tela.

multisync monitor monitor multisync

Monitor capaz de responder a uma ampla faixa de taxas de sincronização horizontais e verticais. Os monitores desse tipo podem ser usados com diversos adaptadores de vídeo, pois conseguem se ajustar automaticamente às taxas de sincronização do sinal de vídeo.

multisystem network rede com diversos sistemas

Rede de comunicação em que dois ou mais hosts podem ser acessados pelos usuários da rede.

multitasking multitarefa

Modo de operação oferecido por alguns sistemas operacionais no qual o computador trabalha com mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Ver também background1; context switching (alternância de contexto); cooperative multitasking (multitarefa cooperativa); foreground1 (de primeiro plano); time slice (fatia de tempo, fração de tempo).

multithreaded application aplicação com multithread

Programa capaz de ser executado em mais de um thread de programa ao mesmo tempo. Ver também multithreading (multithreading, multiencadeamento – definição 1); thread (thread, fio, encadeamento – definição 1).

multithreading multithreading, multiencadeamento

1. Execução de vários processos em uma seqüência rápida (multitarefa) dentro do mesmo programa. Ver também thread (thread, fio, encadeamento – definição 1). 2. Na manipulação de dados, uma técnica em que os nós de uma estrutura de árvore contêm ponteiros para nós mais elevados, de modo a tornar mais eficientes os percursos pela estrutura. Ver também thread (thread, fio, encadeamento – definição 2).

multiuser multiusuário

Ver multiuser system (sistema multiusuário).

multiuser dungeon

Ver MUD.

multiuser simulation environment ambiente de simulação multiusuário

Ver MUD.

multiuser system sistema multiusuário

Qualquer sistema de computador que possa ser usado por mais de uma pessoa. Embora um microcomputador compartilhado por diversas pessoas possa ser considerado um sistema multiusuário (embora o termo mais correto fosse sistema com multiusuários), essa expressão costuma ficar restrita a máquinas que são acessadas por diversas pessoas através de linhas de comunicação ou terminais. Comparar com single-user computer (computador monousuário).

multum in parvo mapping mapeamento multum in parvo

Ver MIP mapping (mapeamento MIP).

MUMPS

Acrônimo de Mass(achusetts) Utility MultiProgramming System. Combinação de uma linguagem de programação avançada, de alto nível, e de um banco de dados integrado, desenvolvida em 1966 no Massachusetts General Hospital e amplamente utilizada por empresas da área de saúde. Um recurso exclusivo do MUMPS é a capacidade de armazenar dados e fragmentos de programa em seu banco de dados.

MUSE

Abreviatura de multiuser simulation environment. Ver MUD.

Musical Instrument Digital Interface

Ver MIDI.

mutual exclusion exclusão mútua

Técnica de programação com a qual apenas um programa ou uma rotina pode acessar algum recurso (como uma posição de memória, uma porta de I/O ou um arquivo) de cada vez, geralmente através de semáforos, que são flags usados nos programas para coordenar as atividades de mais de um programa ou rotina. Ver também semaphore (semáforo).

MUX

Ver multiplexer (multiplexador – definição 2).

.mv

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado nas ilhas Maldivas.

.mw

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Malaui.

.mx

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado no México.

.my

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado na Malásia.

My Briefcase Meu Porta-arquivos

Utilitário do Windows 95, útil para quem trabalha fora do escritório, que gerencia a atualização de arquivos modificados quando o computador do usuário remoto é conectado novamente à rede empresarial.

Mylar

Filme de poliéster criado pela DuPont e muito usado como base para meios magnéticos de armazenamento (discos e fitas) e para fitas de carbono usadas em impressoras de impacto.

Mylar ribbon fita de Mylar

Ver carbon ribbon (fita de carbono).

MYOB

Acrônimo de Mind your own business (Cuide da sua própria vida). Expressão usada em correio eletrônico e newsgroups.

my two cents

Expressão usada informalmente em artigos de newsgroup e, com menor freqüência, em mensagens de correio eletrônico ou listas de correspondência, para indicar que a mensagem é a contribuição do autor para um debate em andamento. Também chamado de $0.02. Ver também mailing list (lista de correspondência, lista de mala direta); newsgroup.

.mz

Na Internet, o domínio geográfico principal que identifica um endereço localizado em Moçambique.