fractal

Um termo criado pelo matemático Benoit Mandelbrot em 1975 para descrever uma classe de formas caracterizadas pela irregularidade mas que, de certo modo, evocam um padrão. Os técnicos de computação gráfica costumam usar fractais para gerar imagens de aparência natural, como paisagens, nuvens e florestas. A característica que distingue os fractais é o fato de serem "auto-semelhantes"; qualquer seção de um fractal, quando ampliada, tem as mesmas características do todo. Uma analogia mais simples se faz com o litoral, que tem uma estrutura semelhante quer se examine o litoral de um estado ou de um continente. Um detalhe interessante é a dificuldade de se medir com exatidão o perímetro de uma dessas formas, pois a distância total depende do tamanho do menor elemento que se queira medir. Por exemplo, seria possível medir, em um litoral, o perímetro de todas as penínsulas e entradas ou, em outro nível de ampliação, o perímetro de todos os pequenos promontórios, e assim por diante. Na realidade, como os fractais podem ter uma área finita mas um perímetro infinito, considera-se que eles tenham uma dimensão fracionária – por exemplo, entre um (uma linha) e dois (um plano) – vindo daí o nome fractal. Ver também cellular automata (autômatos celulares); graftal.
+
..
../..