COM

1. Um nome reservado pelo sistema operacional MS-DOS para até quatro portas de comunicação seriais. Por exemplo, se um estiver conectado a uma porta serial e uma impressora serial estiver conectada a outra, o dispositivos serão identificados como COM1 e COM2 pelo sistema operacional. 2. Acrônimo de Component Object Model. Uma especificação desenvolvida pela Microsoft para criar componentes de que podem ser montados em programas ou que acrescentam funções a programas existentes que estejam sendo executados em plataformas Microsoft Windows. Os componentes COM podem ser desenvolvidos em diversas linguagens, embora a maioria seja escrita em C++. Eles podem ser desconectados de um programa durante a fase de execução sem que seja necessário recompilar o programa. A tecnologia COM é a base das especificações (Object linking and embedding), ActiveX e DirectX. Ver também Active X; componente (componente – definição 2); DirectX; OLE. 3. A extensão reservada pelo MS-DOS para um tipo de arquivo executável binário (programa) limitado a um único segmento de 64 kilobytes (). Os arquivos COM são utilizados, geralmente, para programas utilitários e rotinas curtas, não sendo suportados pelo OS/2. 4. Acrônimo de computer-output microfilm. Microfilme capaz de registrar dados de um computador.
+
..
../..