bug

1. Um erro na codificação ou na lógica que faz com que um programa não funcione corretamente ou que produza resultados incorretos. Bugs menores, como um cursor que não se comporta como é esperado, podem ser inconvenientes ou frustrantes, mas não danificam as informações. Bugs mais sérios podem fazer com que o usuário tenha que reinicializar o programa, ou até o computador, perdendo todo o trabalho que não tenha sido salvo. Piores ainda são os bugs que danificam os dados gravados sem sequer alertar os usuários. Todos esses erros devem ser encontrados e corrigidos durante o processo conhecido como depuração. Devido ao risco potencial de perda de dados, os programas de aplicações comerciais são testados e depurados o mais completamente possível antes de serem lançados para o público. Depois de o programa ser disponibilizado, os futuros pequenos bugs serão corrigidos em futuras atualizações. Um mais sério pode, às vezes, ser reparado com um chamado de patch, que evita o problema ou de alguma forma atenua seus efeitos. Ver também beta test (beta-teste); bomb2 (dar pau); crash2 (dar pau – definição 1); debug (depurar); debugger (depurador); hang (pendurar, parar); inherent error (erro intrínseco); logic error (erro lógico); semantic error (erro de semântica); syntax error (erro de sintática). 2. Um problema físico recorrente que impede um sistema, ou conjunto de componentes, de trabalhar de maneira apropriada. Embora a origem dessa definição ainda seja contestada, o folclore da informática atribui o primeiro uso da palavra bug, nesse sentido, com relação a um problema que ocorreu com o Harvard ou com o Army/University of Pennsylvania ENIAC, que foi descoberto ser uma mariposa entre os contatos de um relé na máquina (ainda que uma mariposa não seja entomologicamente um inseto rasteiro [bug]).
+
..
../..