As forças translatórias são dê compressão, na maior parte do movimento, e descompressão nos ângulos finais da extensão. No começo do movimento (quando o braço está perpendicular ao chão) não há braço de momento porque a sobrecarga está alinhada com o eixo do movimento (articulação do ombro) e, portanto, não há produção de torque da resistência. Fig.7.8 b Fig.7.8 a O correto alinhamento da coluna depende de vários fatores: a) A altura do banco: Se o banco for muito alto para o executante, o osso ílio do lado do joelho que apóia no banco fica mais alto que o ílio da perna que está apoiada no chão. Isto causa uma rotação da coluna lombar na direção do pé que está apoiado no chão. b) A postura dos ombros: Os dois ombros devem ficar alinhados durante todo o movimento, para impedir que a coluna torácica faça uma rotação no sentido do ombro mais baixo. c) A posição do joelho do membro que está no chão: O joelho da perna que fica apoiada no chão deve ficar um pouco flexionado, para evitar uma insuficiência passiva dos isquiotibiais. Esta insuficiência diminui a estabilidade da coluna lombar, e portanto, aumenta o risco de lesão nesta articulação. d) A posição do cotovelo: O cotovelo do braço que fica apoiado não deve ficar muito flexionado. A flexão do cotovelo aumenta a flexão do quadril e pode prejudicar a postura da coluna lombar. Como no exercício anterior, o cotovelo não deve ultrapassar a altura do tronco.