Análise Biomecânica do Exercício Os maiores braços de momento da resistência para as duas articulações acontecem na posição de flexão. Se o executante fizer o exercício com todo o pé apoiado no chão, a manutenção do equilíbrio só é conseguida na fase excêntrica, pela projeção do tronco anteriormente (flexão do quadril). Isto causa um aumento do braço de momento da resistência no quadril, com concomitante diminuição no joelho, favorecendo a participação dos músculos glúteo máximo e isquiotibiais. Com o aumento da flexão do quadril, o braço de momento da resistência na coluna lombar fica maior, aumentando a ação dos extensores da coluna e os riscos de lesão. Nesta posição, a força da contração dos extensores da coluna, além de preservar a postura da mesma, aumenta o componente translatório de compressão dos discos intervertebrais. O aumento do braço de momento mais a força dos extensores pode fazer as forças compressivas na coluna lombar serem até mais de dez vezes o valor do peso que está sendo levantado. O iniciante não tem uma estrutura muscular (principalmente nos extensores da coluna e abdominais) nem articular para sustentar estas forças translatórias, tornando-o suscetível à lesão. A insuficiência passiva do gastrocnêmio pode impedir o deslocamento anterior da tíbia (dorsiflexão) durante a fase excêntrica. Isto aumenta o grau de flexão do quadril para manter o equilíbrio e, conseqüentemente o risco de lesão da coluna aumenta. A coluna deve ficar na posição anatômica (com a curvatura normal da região lombar) durante toda a amplitude do movimento. Esta posição diminui a compressão anterior do disco interverbral, se comparada ao exercício realizado com a coluna lombar em flexão. Se o executante, apoiar o calcanhar numa pequena plataforma ao executar o agachamento, o equilíbrio é mantido durante a fase excêntrica do movimento, sem que o tronco precise projetar-se anteriormente (flexão do quadril). Isto faz com que o braço de momento da resistência seja maior para o joelho 40 que para o quadril, aumentando, assim, a participação do quadríceps. O braço de momento da resistência para a coluna também diminui nesta posição, diminuindo as forças compressivas causadas pelo torque excessivo. Porém, apesar de não haver torque na coluna, o próprio peso coloca sobre os ombros gera um componente translatório de pressão na coluna, principalmente na região lombar.