Análise Biomecânica do Exercício Os abdutores do quadril têm o maior braço de momento numa posição um pouco aduzida em relação à posição anatômica. Portanto, este movimento deve começar, partindo-se de uma pequena adução e terminar por volta de 45° de abdução. O braço de momento da resistência é maior no começo do exercício do que nos últimos graus da abdução (no caso de este exercício ser executado, utilizando um cabo). Isto diminui a probabilidade de insuficiência ativa dos abdutores no final do movimento. Se o mesmo exercício for executado com elástico, há uma maior tendência de insuficiência ativa dos abdutores no final da abdução. Apesar de o braço de momento da resistência ser menor neste ponto (como acontece com o cabo), é aí que o elástico desenvolve sua maior tensão. No caso de uma insuficiência ativa dos abdutores, há uma participação dos abdutores da outra articulação do quadril e dos flexores laterais da coluna lombar, com conseqüente inclinação lateral da pelve para aumentar a eficiência do movimento. A amplitude da abdução pode ficar limitada por insuficiência passiva dos adutores. Isto também causa as alterações citadas na análise anterior, caso o executante tente continuar a abdução do quadril. Neste caso, alguns alongamentos para os adutores devem ser incluídos no programa de exercícios. Se o executante utilizar uma sobrecarga alta, a participação isométrica dos flexores da coluna (do mesmo lado do quadril que tenta realizar o movimento) tende a aumentar. Isto ocorre na intenção de preservar a postura da pelve pois, nesta situação, o fêmur passa a ficar mais fixo que a pelve (por causa da