No começo da contração o componente translatório é de compressão, o que favorece a estabilidade da articulação do joelho. No final da flexão, porém, o componente translatório é de descompressão. O aumento da instabilidade da articulação deve ser prevenido pelos ligamentos e pelo tendão patelar. A posição de flexão do quadril é muito importante para a segura execução do exercício. Quando o executante realiza a flexão do joelho, várias outras articulações se movimentam além da articulação do joelho: a pelve faz anteversão, o quadril, flexão, a coluna, hiperextensão e o tornozelo realiza uma dorsiflexão. Todas estas alterações são feitas na intenção de aumentar a eficiência da flexão do joelho. Esta composição de movimentos ocorre da seguinte forma: a) O reto femural, quando alongado pela flexão da articulação do joelho, puxa a espinha ilíaca ântero-inferior (origem) no sentido da tuberosidade da tíbia (inserção), por causa de insuficiência passiva, o que faz com que a pelve realize uma anteversão, seguida de hiperextensão da coluna lombar. b) O iliopsoas e os paravertebrais contraem-se para aumentar as posições respectivas de flexão do quadril e hiperextensão da coluna