Quando o quadril está flexionado é possível realizar os movimentos de adução e abdução transversal desta articulação. As amplitudes médias para os principais movimentos são: flexão 125°, extensão 10°, abdução 45° e adução 10°. Amplitudes maiores que estas dependem de um movimento combinado com a pelve e a coluna. Por exemplo, 90° de abdução só acontecem com 45° de abdução do quadril combinados com inclinação lateral da pelve e flexão da coluna lombar. Pelve - Articulação entre a pelve e a coluna lombar e entre a pelve e o fêmur. Na postura anatômica, a espinha ilíaca ântero superior (E.I.A.S.) fica alinhada com a sínfise púbica no plano frontal. Quando a E.I.A.S. desloca-se anteriormente em relação à sínfise púbica ocorre uma anteversão ou inclinação anterior da pelve. Como a coluna e o fêmur se articulam com a pelve, a anteversão ocorre concomitantemente com uma hiperextensão da coluna lombar e uma flexão do quadril. Quando a E.I.A.S. desloca-se posteriormente em relação à sínfise púbica ocorre uma retroversão ou inclinação posterior da pelve. Com a retroversão a coluna lombar realiza uma flexão e o quadril uma extensão. O movimento em que uma E.I.A.S. de um lado fica mais alta que a do outro lado chama-se inclinação lateral da pelve. Juntamente com este movimento o uma flexão lateral da coluna lombar com uma abdução de uma articulação do quadril e adução da outra. Coluna - Os movimentos da coluna são flexão, extensão, hiperextensão, rotação para a direita (ou no sentido horário), rotação para a esquerda (ou no sentido anti- horário), flexão lateral e circundução. Estes movimentos variam de amplitude entre as regiões da coluna.