mesmo tempo, em trajetórias paralelas.

Movimentos translatórios verdadeiros de uma alavanca óssea, sem a concomitante rotação articular, podem ocorrer em pequena extensão, quando um osso é puxado para longe de sua articulação (descompressão) ou empurrado diretamente no sentido desta articulação (compressão). Figura 2a Forças compressivas Figura 2b Forças descompressivas na coluna vertebral Embora pensemos nos músculos como estruturados para realizar movimentos de rotação articular, é importante lembrar que muitas forças exercidas no corpo (incluindo as forças musculares) têm componentes que tendem a produzir movimentos não só rotatórios como translatórios. Os movimentos translatórios nas articulações do corpo humano, até quando realizados em pequenas magnitudes, são importantes para entendermos o estresse e a estabilidade articular. Localização do Movimento Uma descrição cinemática de um movimento deve incluir os segmentos e articulações sendo movidas, bem como o lugar, ou plano, do movimento. Os planos de movimento são chamados de transverso, sagital e frontal. Os movimentos de flexão, extensão e hiperextensão, por exemplo, são realizados no plano sagital e possuem um eixo frontal. A flexão lateral, adução e abdução são realizadas no plano frontal (ou coronal) e sobre o eixo sagital. A maioria dos movimentos de rotação medial e lateral é realizada no plano transverso e sobre o eixo longitudinal (ou vertical).