Quando a sobrecarga está embaixo da articulação do ombro (fig. 7.12 a), não há braço de momento e, portanto, não há produção de torque pela resistência. A flexão do cotovelo durante o movimento causa um torque no sentido da rotação medial do ombro. Isto aumenta a ação dos rotadores laterais, para que o movimento termine com a mão acima do ombro (fig. 7.12 b). No final do movimento, uma pequena extensão da coluna torácica contribui para o fortalecimento dos músculos que previnem a cifose torácica, porém, a inclusão deste movimento da coluna não deve ser feita para o iniciante. O iniciante faz hiperextensão da coluna lombar em vez de extensão da coluna torácica, o que aumenta o risco de lesão nesta articulação. Este exercício não exige a ação dos músculos estabilizadores e consciência postural. Todos os músculos exercitados melhoram a postura da coluna torácica e da cintura escapular.